Bolsas européias operam sem direção definida

As bolsas européias oscilam, indicando dificuldade dos investidores em manter uma única orientação na condução de seus negócios, com a ausência de direção dos futuros de Nova York e com a expectativa da reação do mercado de petróleo aos relatórios sobre os estoques norte-americanos da commodity. No começo do dia, as bolsas européias operaram em alta sustentadas pelos ganhos registrados ontem em Nova York, os quais, por sua vez, foram em grande parte alimentados pela queda do petróleo. Mas às 10h04 (de Brasília), o índice FT-100, de Londres, caía 0,06% e o CAC-40 de Paris cedia 0,04%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, ainda mantinha-se no positivo, somando 0,28%. Enquanto o cenário não se define, os investidores europeus acompanham o noticiário corporativo. O destaque do dia é a perspectiva de a fabricante de caminhões sueca Scania ser adquirida pela alemã Man. As ações da Scania subiram mais de 8%, enquanto as da Man, mais de 2%. A Man confirmou estar interessada em realizar uma oferta pela Scania, provocando reação na Volkswagen, que também se manifestou, logo depois, dizendo ter interesse nas operações industriais da empresa sueca. A companhia de defesa britânica BAE Systems informou aumento de 28% em seu lucro no primeiro semestre, ancorado pelas encomendas norte-americanas de veículos de guerra Bradley, utilizados no Iraque. O lucro líquido subiu para 405 milhões de libras (US$ 759 milhões) e superou as estimativas dos analistas. As ações da BAE Systems subiram mais de 1%. A companhia, maior fabricante de armas da Europa, quer que seus acionistas aprovem a venda de sua participação de 20% na fabricante de aeronaves Airbus para a EADS, que divide o controle da Airbus com a BAE Systems. A BAE disse prever modesto crescimento orgânico de seu negócio de defesa no resto do ano e uma fraca contribuição das operações da Airbus no segundo semestre. A fabricante de roupas Next disse que seu lucro líquido no primeiro semestre cresceu 3,4%, para 124 milhões de libras esterlinas, graças a elevação de 8,1% em suas vendas, para 1,5 bilhão de libras esterlinas. Seus papéis ganharam 5,8%. As ações da Alitalia caíram 8,7% em Milão, depois de a companhia informar prejuízo líquido maior no primeiro semestre, para 221 milhões de euros, de 125 milhões de euros no mesmo período do ano passado. O aumento no custo dos combustíveis, pressão competitiva das empresas que praticam tarifas menores e o impacto negativo de uma série de greves foram os motivos do aumento em seu prejuízo. As ações da British Petroleum subiram 0,5% com elevação na recomendação para acima da média de mercado nas ações da companhia. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.