Bolsas europeias oscilam após balanços

Dados da Nestlé e do grupo de serviços de tecnologia da informação Capgemini agradaram aos investidores, enquanto a Pernord Ricard e BAE Systems informaram números desapontadores

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

17 de fevereiro de 2011 | 09h07

As bolsas europeias seguem com volatilidade, à medida que os investidores digerem uma série de balanços corporativos. As ações do setor de alimentos e de tecnologia fornecem algum suporte ao sentimento, após os resultados bem recebidos da Nestlé e do grupo de serviços de tecnologia da informação Capgemini. No campo negativo, os destaques são a Pernord Ricard e BAE Systems, que recuaram após divulgação de números desapontadores. Os balanços do banco francês BNP Paribas e da Swiss Re também ficaram sob os holofotes dos mercados nesta quinta-feira.

Às 9h59 (de Brasília), a Bolsa de Londres cedia 0,02%, a de Paris caía 0,10% e a de Frankfurt perdia 0,08%.

A Nestlé afirmou que seu lucro líquido quase triplicou em 2010, ajudado pela venda da unidade de cuidados para os olhos e pelo aumento das vendas nos mercados emergentes e de sua divisão de nutrição. O lucro líquido da companhia avançou para 34,2 bilhões de francos suíços (US$ 35,65 bilhões) em 2010, de 10,43 bilhões de francos suíços no ano anterior, levemente baixo da projeção dos analistas de lucro líquido de 35,69 bilhões de francos suíços.

A francesa Cap Gemini, maior companhia de serviços de computadores da Europa, reportou uma alta de 57% do seu lucro em 2010, para € 280 milhões (US$ 380 milhões), de € 178 milhões no ano anterior. A empresa também previu crescimento de 9% da receita no ano passado e de 10% em 2011. No ano passado, a Cap Gemini pagou € 233 milhões pelo controle da empresa brasileira de tecnologia de informação CPM Braxis.

Entre as ações do setor financeiro, o destaque são as do BNP Paribas, que registrou um aumento de 14% do seu lucro líquido no quarto trimestre de 2010, para € 1,55 bilhão (US$ 2,10 bilhões), de € 1,36 bilhão no mesmo período do ano anterior. No entanto, o resultado ficou abaixo das projeções dos analistas, que esperavam um lucro de € 1,7 bilhão. A receita do banco totalizou € 10,32 bilhões no quarto trimestre de 2010, uma alta de 2,6%, em bases anuais.

Já a empresa de resseguros Swiss Re reportou um prejuízo líquido no último trimestre do ano passado, após o pagamento de um empréstimo de emergência que tomou do empresário Warren Buffet. No entanto, a companhia elevou o pagamento de dividendo e disse que planeja estabelecer uma nova estrutura corporativa sob a nova holding formada. A Swiss Re afirmou que saiu de um lucro líquido de US$ 394 milhões no quarto trimestre de 2009, para um prejuízo líquido de US$ 725 milhões no mesmo período do ano passado, superando as previsões dos analistas de um prejuízo líquido de US$ 400 milhões.

A empresa francesa de bebidas alcoólicas Pernod Ricard afirmou que seu lucro líquido no primeiro semestre do ano fiscal 2010-2011 subiu 10%, para € 666 milhões (US$ 903,7 milhões), de € 604 milhões no mesmo período do ano fiscal anterior. O crescimento do lucro foi puxado pelo crescimento robusto das vendas de marcas estratégicas em mercados emergentes.

Os resultados da BAE Systems vieram amplamente em linha com as estimativas, mas os cortes dos governos dos EUA e do Reino Unido nos gastos com defesa continuam a afetar os prospectos da companhia. A BAE Systems reverteu o prejuízo líquido de 67 milhões de libras em 2009 para um lucro líquido de 1,05 bilhão de libras (US$ 1,69 bilhão) em 2010. No entanto, num sinal de como o aperto dos gastos em ambos os lados do Atlântico tem afetado a gigante do setor de defesa, seu livro de encomendas recuou para 39,7 bilhões de libras em 2010, de 46,9 bilhões de libras em 2009.

Às 9h35 (de Brasília), as ações da Nestlé e da Cap Gemini subiam 0,75% e 5,45% respectivamente, enquanto as do BNP Paribas recuavam 0,61%. Os papéis da Swiss Re tinham alta de 3,66% e os da Pernod Ricard caíam 3,88%. BAE Systems perdia 4,19% no mesmo horário. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.