Bolsas europeias recuam à espera do G-20

Encontro começa hoje e termina amanhã em Paris

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

18 de fevereiro de 2011 | 08h34

As bolsas europeias registram perdas, com os investidores adotando uma posição de cautela antes da reunião dos ministros de Finanças do G-20 (grupo das 20 maiores economias do mundo). O encontro será iniciado hoje e termina amanhã, em Paris. Às 9h02 (horário de Brasília), a Bolsa de Londres recuava 0,55%, a Bolsa de Paris caía 0,17%, a Bolsa de Frankfurt cedia 0,15% e a Bolsa de Madri registrava baixa de 1,09%.

"A reunião do G-20 deverá ratificar o acordo fechado pelo conselho dos ministros de Finanças da União Europeia - o chamado Ecofin - no início desta semana, para dobrar o fundo de socorro da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) para 500 bilhões de euros, embora a Alemanha deseje, sem dúvida, que algumas regras onerosas sejam acrescentadas", afirmou Michael Hewson, da CMC Markets.

Os investidores deverão continuar cautelosos, aguardando os futuros desdobramentos no Oriente Médio, enquanto o fim de semana longo nos EUA, devido a um feriado no país na segunda-feira, é visto como limitador para qualquer movimento mais corajoso. As preocupações sobre as dívidas soberanas estão de volta ao foco das atenções, após uma autoridade da zona do euro afirmar, na noite de ontem, que Portugal está sendo pressionado por outros países da região a seguir os passos da Grécia e da Irlanda e pedir ajuda financeira da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Entre os indicadores econômicos divulgados na Europa mais cedo, o Escritório Federal de Estatísticas (Destatis) informou que o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) subiu 1,2% em janeiro na Alemanha, em relação ao mês anterior. Na comparação com janeiro do ano passado, houve alta de 5,7%. O dado anual é a maior leitura desde outubro de 2008, quando havia subido 7,3%.

No Reino Unido, o Escritório Nacional de Estatísticas informou que o as vendas no varejo do país subiram 1,9% em janeiro ante dezembro e 5,3% em relação a janeiro de 2010. Esta é a maior alta anual desde novembro de 2004.

Os participantes do mercado também focaram sua atenção nas notícias do setor corporativo. As ações da fabricante francesa de materiais de construção Lafarge subiam na Bolsa de Paris, após a companhia anunciar que reverteu um prejuízo de 38 milhões de euros no quarto trimestre de 2009 para lucro de 62 milhões de euros (US$ 84 milhões) no mesmo período do ano passado. A companhia também anunciou planos para reduzir sua dívida em pelo menos de 2 bilhões de euros em 2011. As projeções dos economistas eram de um lucro de 66,3 milhões de euros.

Os papéis da mineradora Anglo American recuavam na Bolsa de Londres, após a companhia anunciar que formou uma joint venture (associação) com a Lafarge, que incluirá a divisão europeia Tarmac. Analistas esperavam que a mineradora vendesse o negócio como parte de seu programa de desinvestimento, que está perto de ser concluído. A companhia anunciou também que seu lucro aumentou para US$ 6,54 bilhões em 2010, ante US$ 2,43 bilhões no ano anterior, enquanto a receita avançou 34%, para US$ 32,93 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsasEuropaG-20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.