Bolsas européias recuam; BC inglês surpreende com juro

As principais bolsas européias operam em baixa hoje. O Banco Central Europeu anunciou aumento de 0,25 ponto porcentual nas taxas básicas de juros, decisão que já era prevista. Mas a Bolsa de Londres chegou a cair 1,7% depois que o BOE, o Banco da Inglaterra, surpreendeu e decidiu elevar o juro para 4,75% ao ano, contrariando as expectativas de manutenção da taxa. O BC inglês disse que o aumento foi necessário para trazer o índice de preços ao consumidor (CPI) para sua meta, tendo em vista que a economia segue em expansão, a capacidade ociosa de produção é reduzida e os altos preços do petróleo mantêm pressão sobre a inflação. Às 9h15 (de Brasília), o índice FT-100 da Bolsa de Londres caía 1,41%. As demais bolsas na região também recuavam com a surpresa do banco central inglês. No mesmo horário, o índice Xetra-DAX, da Bolsa de Frankfurt, caía 0,92% e o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, cedia 0,90%. Mas os mercados europeus já abriram o dia no negativo, influenciados pela decepção dos investidores com o resultado da Unilever e da companhia petrolífera Total. Os papéis da Total caíram 1,2%, depois de informar que seu lucro, excluindo despesas, cresceu 15% para 3,36 bilhões de euros (US$ 4,3 bilhões), abaixo da estimativa de 3,42 bilhões de euros esperados pelos analistas. O resultado foi prejudicado pelo confisco de alguns de seus campos de exploração na Venezuela e na Bolívia, assim como pela queda de produção da Nigéria, onde militantes nacionalistas atacam constantemente as instalações das companhias estrangeiras. Os papéis da Unilever cederam 3,8%. A empresa disse que o lucro no segundo trimestre subiu 35% para 986 milhões de euros, abaixo do ganho de 1,01 bilhão de euros previsto pelos analistas. As vendas cresceram menos e o preço de ingredientes como soja e óleo subiram. As ações da mineradora Rio Tinto caíram 0,7%, apesar do resultado recorde obtido no primeiro semestre de 2006. Influenciada pela forte alta na demanda chinesa, a companhia de cobre e minério de ferro Rio Tinto informou aumento de 75% em seu lucro no primeiro semestre, para o recorde de US$ 3,8 bilhões. O lucro básico cresceu 80% para US$ 3,75 bilhões, superando as estimativas de US$ 3,5 bilhões. Mas investidores mostravam-se preocupados com o peso dos custos sobre o lucro, os quais reduziram em US$ 513 milhões o lucro. Ao mesmo tempo em que encorajou especulações de que poderá planejar uma grande aquisição, seu resultado faz com que analistas esperem números igualmente sólidos da BHP Billiton, maior mineradora do mundo. Os analistas projetam que seu lucro anual, que será divulgado no dia 23, seja elevado em cerca de 60% na comparação com o ano anterior, para US$ 10 bilhões ou mais. Entre outros destaques estão as ações do Barclays, que caíram 1% em Londres, devolvendo os ganhos iniciais, com a divulgação de alta de 25% em seu lucro líquido no primeiro semestre, para 2,31 bilhões de libras esterlinas. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

03 de agosto de 2006 | 09h18

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.