Bolsas européias recuam com mineradoras e petrolíferas

As principais bolsas européias operam com pequena queda. Ações de mineradoras e de empresas petrolíferas recuam, ao passo que papéis do setor de tecnologia sobem. Em Londres, as ações da Lonmin, a terceira maior fabricante de platina do mundo, caíam mais de 4%, após a empresa informar que irá reconstruir um de seus altos-fornos, onde havia sido detectado um vazamento em dezembro. A reforma vai custar US$ 6,5 milhões e deve prejudicar suas vendas no primeiro trimestre. O recuo da Lonmin puxava para baixo papéis de outras mineradoras (Xstrata -3%, Antofagasta -2,6%). Petrolíferas também recuam. A norueguesa Statoil perdia 1,5%, enquanto a espanhola Repsol cedia 0,5%. Fabricantes de bebidas subiam depois uma série de melhorias de recomendação no setor. A holandesa Heineken ganhava 2,5%, depois de ter sido elevada de "média de mercado" para ?acima da média"? pelo banco de investimentos Morgan Stanley. InBev, que teve o preço-alvo de suas ações aumentado pela Sanford C Bernstein, ganhava 1,7%. No setor de tecnologia, STMicroelectronics subia 1,2% em Paris, enquanto a Nokia avançava 1,6% em Helsinque. Em Londres, as varejistas também eram destaque. Tesco, a maior rede de supermercados do país, recuava 1,1%, embora suas vendas de mesmas lojas tenham aumentado 5,9% no período de seis semanas terminado em 6 de janeiro. Às 9h45 (de Brasília), o índice FT-100 da Bolsa de Londres recuava 0,06%. O índice Dax, da Bolsa de Frankfurt, perdia 0,12%, enquanto o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, caía 0,12%. As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.