Bolsas européias recuam com setor petrolífero

As principais bolsas européias operam em baixa hoje, pressionadas pela queda das ações de empresas do setor petrolífero. Statoil perdia quase 3%, a francesa Total recuava 1% e a BP operava em baixa de 1,3%. De maneira geral, predomina a cautela antes do depoimento do presidente do Fed (banco central dos EUA), Ben Bernanke, ao Congresso norte-americano amanhã, além das preocupações com o ambiente de taxas de juros em alta, com a sustentabilidade dos lucros das companhias e com a tensão geopolítica. Entre as poucas valorizações hoje, destaque para ações dos setores de cuidados pessoais, produtos domésticos e empresas de fornecimento de serviços públicos. A cervejaria holandesa Heineken subia 3,1%, depois de ter elevado sua previsão de crescimento do lucro líquido para o ano para pouco mais de 10%. A notícia ajudava outras empresas do setor (Carlsberg e InBev subiam 1,1% cada uma). A companhia de consultoria de tecnologia de informação francesa Atos Origin, ao contrário, despencava 17,9%, depois de ter alertado que o crescimento de sua receita ficará aquém da mediana das previsões do mercado. A sueca Electrolux subia 0,3%, com a afirmação de que espera continuar limitando o efeito dos aumentos dos custos por meio da implementação de programas de economia e de reajustes seletivos de preços. A francesa Vivendi ganhava 2,4%, depois de ter retirado sua oferta para comprar a Pages Jaunes. Por volta das 9h35 (de Brasília), o índice FT-100, da Bolsa de Londres, recuava 0,19%. Em Paris, o índice CAC-40 cedia 0,25% e na Bolsa de Frankfurt, o índice Dax operava perto da estabilidade (-0,05%). As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.