Bolsas europeias recuam, mas Londres registra ganhos

Os mercados de ações da Europa apresentam perdas nesta manhã, com exceção da Bolsa de Londres. Os papéis de empresas ligadas ao setor de matérias-primas continuam subir, ignorando o aumento do juro da China no último fim de semana, dando sustentação aos negócios em Londres. Enquanto alguns participantes continuam otimistas em relação às perspectivas para as bolsas no próximo ano, outros não se mostram tão seguros, o que limita as oscilações dos preços em mais um dia de baixa liquidez.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

30 de dezembro de 2010 | 08h54

Às 8h49 (horário de Brasília), o índice FTSE 100, de Londres, estava em alta de 0,11%. O índice DAX, de Frankfurt, caía 0,30%, enquanto o CAC-40, de Paris, cedia 0,40%. O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, recuava 0,48%.

Em relatório a clientes, a Standard & Poor´s Equity Research alerta que o sentimento do mercado é excessivamente altista e a complacência está extremamente baixa. No entanto, o S&P se mostra otimista para o longo prazo. "Embora seja provável uma digestão de curto prazo dos ganhos recentes, continuamos positivos em relação às ações em 2011", diz a nota. "Vemos a economia dos EUA continuando a se recuperar gradualmente e projetamos alta de 13,2% para os lucros por ação do S&P 500", acrescenta.

A S&P afirma que a economia da China deverá crescer 9% no próximo ano, com as medidas para apertar a política monetária conseguindo levar as atividades a um pouco suave. Para a Europa, a S&P prevê fortalecimento das economias do norte, o que, acredita, deverá compensar em grande medida a austeridade na periferia ao sul.

A continuidade do aumento dos preços das commodities ajuda os papéis do setor. Na Bolsa de Metais de Londres (LME, na sigla em inglês), os contratos futuros de cobre para três meses atingiram o recorde de US$ 9.550 por tonelada métrica, mais de US$ 100 acima da máxima histórica de US$ 9.447 de ontem.

Enquanto estão previstos poucos indicadores para a Europa hoje, a atenção dos corretores deverá se concentrar nos EUA. Às 11h30 (horário de Brasília), o Departamento do Trabalho divulga os dados de pedidos de auxílio-desemprego referentes à semana até 25 de dezembro. O índice de gerentes de compras de Chicago e as vendas pendentes de residências serão informados, respectivamente, às 12h45 e às 13 horas. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.