Bolsas européias recuperam terreno e fecham em alta

Depois de uma segunda-feira turbulenta, em que as bolsas européias registraram queda, o dia hoje foi de recuperação. O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em alta de 146,0 pontos (2,64%), em 5.678,7 pontos. A alta ocorreu porque o mercado recuperou terreno, depois da queda forte de ontem, em reação à recuperação dos preços dos metais. A alta foi liderada pelas ações das mineradoras, entre as que mais haviam caído ontem (Anglo American +9,19%, Antofagasta +9,69%, BHP Billiton +8,15%, Kazakhmys +13,00%, Rio Tinto +7,52%, Xstrata +10,09%). As ações do setor imobiliário também subiram, em reação a uma elevação de recomendação pelos analistas da Merrill Lynch (Land Securities +5,58%, Liberty Securities +7,09%). As ações do setor de petróleo acompanharam a recuperação dos preços do produto (BP +4,18%, Shell +3,34%). As da editora de listas telefônicas Yell Group avançaram 8,95%, em reação a seu informe de resultados. As da Marks & Spencer, do setor de comércio varejista, caíram 3,17%, depois da divulgação de seu informe de resultados. As ações da London Stock Exchange (LSE) caíram 1,3%; analistas disseram que a disputa pelo controle da operadora da Bolsa de Londres deve "esfriar", já que a Nasdaq agora controla 25,1% da LSE e a NYSE está concentrando seus esforços na aquisição da Euronext. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 encerrou com ganho de 118,03 pontos (2,45%), em 4.931,53 pontos. A recuperação, depois da forte queda de ontem, foi liderada pelas ações da EADS, do setor de tecnologia aeroespacial e militar, que subiram 6,51%. As da Lafarge avançaram 6,16%, depois de o investidor belga Albert Frere elevar sua participação na empresa para 10%. As da Euronext fecharam em alta de 2,6%, depois de os investidores rejeitarem a proposta de aceitar "em princípio" uma fusão com a Deutsche Börse. As ações da rede de televisão TF1 subiram 0,9%, em reação a seu informe de resultados. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX subiu 132,25 pontos (2,38%), em 5.678,49 pontos. " O sentimento do mercado melhorou levemente", disse um operador. Para ele, o fechamento acima dos 5.650 pontos indica que há potencial para que o mercado alemão continue a subir pelo resto da semana, As ações da Deutsche Börse subiram 1,4%, depois de a Euronext rejeitar uma moção em favor de uma fusão. As da indústria de pneus Continental avançaram 4,95%, com sinais de que a guerra de preços no setor estaria para acabar. Outros destaques foram ThyssenKrupp (+8,13%) e MAN (+6,93%). Segundo operadores, amanhã o mercado estará atento ao índice de preços das importações alemãs, à pesquisa de confiança IFO e ao indicador norte-americano de encomendas de bens duráveis em abril. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib avançou 642 pontos (1,82%), em 35.906 pontos. O destaque do pregão foi Saipem, com alta de 11,49%, liderando uma recuperação técnica das ações do setor de energia. As da Fiat avançaram 6,84%, recuperando-se da queda de ontem. Operadores disseram que o comportamento do mercado amanhã dependerá do desempenho das Bolsas dos EUA. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 terminou em alta de 210,50 pontos (1,92%), em 11.160,70 pontos. A recuperação do mercado foi liderada pelo setor de energia (Repsol +4,4%). As da Acciona, do setor de infra-estrutura e logística, avançaram 5,48%. Um operador disse que o Ibex deverá oscilar em torno do nível atual pelo resto da semana; o nível de resistência estaria em 11.400 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou com ganho de 41,28 pontos (0,44%), em 9.369,46 pontos. O mercado português acompanhou a recuperação de outras Bolsas européias, disseram operadores. As ações do Banco Comercial Português subiram 0,46% e as da Energias de Portugal avançaram 0,35%. As da Portugal Telecom, porém, recuaram 0,21%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

23 de maio de 2006 | 15h19

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.