Bolsas européias seguem EUA e fecham em forte queda

As Bolsas européias fecharam em queda forte hoje, reagindo à abertura em baixa dos mercados norte-americanos. Os mercados reagiram à queda do dólar e às novas altas dos preços das commodities, entre elas o petróleo, e mostraram preocupação com as perspectivas da economia e das taxas de juro. O índice FT-100, da Bolsa de Londres, fechou em queda de 139,0 pontos (2,40%), em 5.652,0 pontos. As ações do setor de construção estavam entre as que mais caíram, com os investidores vendendo ações cíclicas (Hanson -5,59%, Wolseley -4,98%). As da Vodafone fecharam no mesmo nível do pregão anterior, depois de terem chegado a subir 3,5% depois da divulgação de seu informe de resultados e do anúncio de dividendos. As ações do BT Group fecharam em alta de 0,55%, em reação a informes contraditórios dos jornais britânicos no fim de semana (segundo o Sunday Times, a Deutsche Telekom poderá fazer uma oferta pela empresa; já o Sunday Telegraph disse que a diretoria da DT ficaria "horrorizada" com essa idéia). As ações da operadora de aeroportos BAA avançaram 6,40%, depois de a empresa rejeitar uma oferta de £ 9,73 bilhões feita pelo Grupo Ferrovial, da Espanha. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 fechou em queda de 121,45 pontos (2,42%), em 4.893,87 pontos. As ações da EADS, do setor de tecnologia aeroespacial e militar, caíram 4,58% em reação à baixa do dólar frente ao euro. As da Vinci recuaram 3,12%, depois de a empresa negar que pretenda comprar a Nexity. As da Arcelor subiram 0,15%, depois de acionistas manifestarem objeção à proposta de fusão com a Severstal. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em queda de 132,59 pontos (2,30%), em 5.622,43 pontos. Segundo um operador, o índice de confiança do consumidor dos EUA não foi suficiente para melhorar o sentimento do mercado. Entre os destaques negativos do pregão estavam ações cíclicas como ThyssenKrupp (-3,01%) e MAN (-2,77%) e as do setor financeiro (Commerzbank -3,96%, Deutsche Bank -3,04%). Nesta quarta-feira, o mercado estará atento à divulgação dos dados do desemprego na Alemanha em maio. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou em queda de 796 pontos (2,18%), em 35.796 pontos. Entre as ações que mais caíram estavam as de empresas mais expostas à queda do dólar frente ao euro, como Luxottica (-4,28%) e Bulgari (-3,82%). Nesta quarta-feira, o mercado estará atento à divulgação do índice de preços ao consumidor da Itália em maio e ao discurso do presidente do Banco Central italiano, Mario Draghi, sobre as condições da economia do país. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 205,80 pontos (1,81%), em 11.165,60 pontos. Operadores disseram que as ações dos setores imobiliário e de construção estavam entre as que mais caíram; as da Ferrovial recuaram 2,40%, depois de a empresa aumentar sua oferta pela britânica BAA. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 130,73 pontos (1,37%), em 9.422,63 pontos. Entre os destaques negativos do pregão estavam ParaRede (-3,85%), Brisa (-2,97%) e Energias de Portugal (-2,04%). As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.