Bolsas européias sobem com cias de petróleo

As companhias de energia e exploradoras de recursos naturais dão suporte para que as bolsas européias se recuperem da maior queda semanal desde janeiro. Na volta do feriado prolongado, a Bolsa de Londres opera como FTSE-100 em alta de 0,82%. Em Paris, o CAC-40 apresenta valorização de 0,85%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, avança 0,50%. Em Londres, as ações da Rio Tinto e da Xstrata subiam mais de 3%, na esteira dos preços do ouro, que oscilavam ao redor de US$ 660 por onça-troy. Às 10h50, o ouro à vista subia 1,07%, para US$ 661,80 por onça-troy, na Comex. A Kazakhmys avançava 4,6% e a Antofagasta, 3,45, respaldadas pela valorização do cobre. A Cairn Energy subia 4,3%, ajuda pelo petróleo. A BP subia 1,5%. Em Paris, as ações da Arcelor apresentavam ganho de 2,2%, enquanto as da Mittal ganhavam 4,5%, após a nomeação de novos membros de conselho para a Arcelor. Segundo operadores, a mudança deve ampliar as pressões para que a Mittal dê continuidade à sua proposta de compra da Arcelor. Os papéis da Suez subiam 3,3%, com a retomada das especulações sobre uma negociação com a Enel. As ações da Lafarge, companhia de materiais de construção, anunciou crescimento de 28% em suas vendas, para 3,77 bilhões de euros (US$ 2,98 bilhões), superando os 3,35 bilhões de euros previstos por analistas. Em Zurique, as ações do Credit Suisse apresentavam ganho de 0,9%, após o banco anunciar lucro no primeiro trimestre que superou as estimativas, o que dissipou as principais preocupações relacionadas ao seu balanço do quarto trimestre. O Credit Suisse elevou seu lucro em 36%, com sua unidade de banco de investimentos se beneficiando da ebulição dos mercados de capital. O lucro líquido do oitavo maior banco europeu, em termos de capitalização de mercado, subiu para 2,6 bilhões de francos suíços (US$ 2,1 bilhões). Os papéis da Repsol seguiam pressionados, caindo 1,2%, em Madri, em reação à nacionalização das operações de petróleo e gás na Bolívia. As ações da BG Group subiam 1,4%, em Londres, já que os ativos da empresa na Bolívia representam menos de 3% de suas reservas comprovadas. A BP subia 1,5%. A BP produz o equivalente a 15 mil barris de petróleo por dia em território boliviano. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.