Bolsas europeias sobem com dados da Alemanha e GE

Índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,87 ponto, ou 0,67%, para 281,26 pontos, mas perdeu 0,88% na semana

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

21 de janeiro de 2011 | 16h44

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta, impulsionados pela divulgação dos resultados financeiros da General Electric e por indicadores positivos sobre a confiança das empresas alemãs.

Nos EUA, a General Electric anunciou que seu lucro líquido cresceu 51% no quarto trimestre em relação a igual período do ano anterior, refletindo um aumento da receita, redução de custos e despesas menores com impostos. Na Alemanha, o índice de clima para negócios medido pelo instituto de pesquisa Ifo subiu para 110,3 em janeiro, de 109,8 em dezembro, e ficou acima das estimativas de 110,0 dos analistas consultados pela Dow Jones.

Analistas disseram também que alguns investidores decidiram voltar ao mercado após a onda de vendas de quinta-feira. Segundo o IG Index, "o bom humor pode não durar, mas agora que grande parte das perdas de ontem foram devolvidas, a perspectiva certamente é mais positiva".

Apesar disso, o analista-chefe do Danske Bank, Lars Christensen, disse não estar convencido de que há fatores concretos impulsionando as bolsas. Segundo ele, os mercados estão "em um terreno incerto no momento" após perdas ocorridas nas últimas duas sessões.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,87 ponto, ou 0,67%, para 281,26 pontos, mas perdeu 0,88% na semana.

Na Bolsa de Londres, o FTSE 100 fechou em alta de 28,34 pontos, ou 0,48%, para 5.896,25 pontos, mas acumulou queda de 1,76% na semana. Em Paris, o CAC 40 avançou 52,61 pontos, ou 1,33%, para 4.017,45 pontos, e acumulou ganho de 0,86% na semana.

Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX subiu 38,15 pontos, ou 0,54%, para 7.062,42 pontos, mas caiu 0,19% na semana. Em Madri, o IBEX fechou em alta de 192,20 pontos, ou 1,81%, para 10.829,10 pontos, e teve ganho de 4,28% na semana.

As ações de bancos estavam entre os destaques da sessão, em particular a do Royal Bank of Scotland, que subiu 6,52% em Londres após uma reportagem do Financial Times afirmar que a instituição deve parar de utilizar um programa do governo britânico que oferece proteção contra ativos podres.

Em Madri, o Banco Santander e o BBVA fecharam em alta superior a 3% após um porta-voz do governo afirmar que a Espanha apresentará em breve um plano para elevar a transparência dos bancos de poupança. Ainda no setor financeiro, também avançaram Lloyds Banking Group (+0,84%), Société Générale (+2,58%), BNP Paribas (+2,25%), entre outros.

No segmento farmacêutico, a Sanofi-Aventis fechou em alta de 1,38% após um comitê da Agência Europeia de Medicina recomendar que medicamento da companhia feito para o combate ao câncer de próstata seja comercializado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropaAlemanhaGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.