Bolsas europeias sobem com expectativa de estímulo na zona do euro e na China

Durante a manhã, um novo sinal de deflação na Espanha reforçou a aposta de que o Banco Central Europeu (BCE) pode anunciar novas ações para apoiar a economia 

Lucas Hirata, da Agência Estado, com informações da Dow Jones,

28 de março de 2014 | 15h05

Os mercados de ações da Europa fecharam em alta nesta sexta-feira, 28, em meio a especulações sobre medidas adicionais de estímulo na zona do euro e na China, o que deixou os investidores mais dispostos a tomada de riscos. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou com ganho de 0,71%, aos 333,76 pontos, resultando em um avanço semanal de 1,78%.

Durante a manhã, um novo sinal de deflação na Espanha reforçou a aposta de que o Banco Central Europeu (BCE) pode anunciar novas ações para apoiar a economia. O índice de preços ao consumidor harmonizado espanhol caiu 0,2% no acumulado de 12 meses até março de 2014, segundo dados preliminares. Até fevereiro, o índice subia 0,1%. O número final será conhecido em 11 de abril.

As perspectivas para a política monetária europeia mudaram bastante nos últimos dias. Após anos de resistência da Alemanha em apoiar ações de política monetária não convencionais para ajudar a economia europeia, autoridades do país emitiram esta semana sinais de que estão inclinadas a apoiar novas medidas pró-crescimento. Na terça-feira, o diretor do BCE e também presidente do Banco Central da Alemanha, Jens Weidmann, deu declarações positivas sobre o juro negativo para bancos e até mesmo o relaxamento quantitativo.

O ambiente otimista foi reforçado pela especulação de que o governo da China também pode agir para incentivar a atividade na segunda maior economia do mundo. Após indicadores que mostram desaceleração da atividade no gigante asiático, o primeiro-ministro Li Keqiang sinalizou que Pequim poderá acelerar projetos de infraestrutura no país, o que foi lido por muitos investidores como um sinal de estímulo. Uma das diretrizes que podem manter a economia chinesa aquecida pelos próximos anos é o amplo programa de urbanização que pretende levar milhões de camponeses às cidades nos próximos anos.

Apesar das expectativas dos investidores, fontes do governo esclareceram mais tarde que este posicionamento do premiê não implica no anúncio de novos estímulos, tendo em vista que o plano sobre infraestrutura já havia sido acordado anteriormente.

Em Londres, as mineradoras lideraram os ganhos em reação as expectativas de estímulos na China, recuperando-se das perdas da última sessão, após os preços do cobre avançaram acentuadamente. A Anglo American subiu 1,48% e a Glencore Xstrata avançou 2,0%. O índice FTSE 100, das ações mais negociadas em Londres, teve alta de 0,41%, aos 6615,58 pontos, com ganho semanal de 0,89%. Por outro lado, o avanço na bolsa britânica foi limitado pelo setor de seguros, devido a preocupações sobre uma investigação sobre pensões e planos de poupança. Entre as maiores quedas, a Resolution perdeu 7,1% e a Aviva cedeu 2,8%.

Além disso, alguns dados positivos sobre a economia europeia ajudaram a manter o ânimo dos investidores. O índice Eurocoin de atividade do bloco da moeda subiu em março a níveis próximos dos vistos no verão europeu de 2011 e o índice de sentimento econômico da região alcançou neste mês o maior patamar desde julho de 2011.

Em Madri, o índice IBEX-35 fechou em alta de 1,27%, aos 10328,90 pontos, nesta sexta-feira, o que resultou em um ganho semanal de 2,74%. Entre os destaques do pregão espanhol, as ações do Banco Santander subiram 1,9%.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, registrou elevação de 1,44%, aos 9587,19 pontos, resultando em um avanço na semana de 2,61%. Os papéis do setor automobilístico foram o destaque do pregão, com alta de 2,6% nas ações da Daimler e de 1,0% na BMW. Já em Lisboa, o índice PSI 20 subiu hoje 0,79%, para 7574,86 pontos, o representou um avanço de 1,44% na semana, enquanto o índice FTSE Mib, da Bolsa de Milão, teve alta de 1,53%, aos 21498,24, e ganho semanal de 2,16%.

Em Paris, o índice CAC-40 encerrou hoje com avanço de 0,74%, aos 4411,26 pontos, com ganho na semana de 1,75%. Os papéis da Alcatel-Lucent subiram 2,5% nesta sexta-feira, depois de a empresa fechar um contrato com a China Mobile.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.