Bolsas européias sobem com melhora de commodities

As principais Bolsas européias fecharam em alta, atribuída à recuperação das ações do setor de mineração e à influência da abertura positiva dos mercados norte-americanos. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 32,1 pontos (0,57%), em 5.658,2 pontos. No setor de mineração, os destaques foram Anglo American (+4,61%), BHP Billiton (+3,46%, após a empresa acertar um aumento de 19% no preço do aço para seus clientes na China) e Rio Tinto (+2,94%). As ações do setor farmacêutico também subiram (AstraZeneca +1,82%, GlaxoSmithKline +1,16%). As da Cair Energy, do setor de petróleo, caíram 0,93%, após o anúncio de que seu diretor financeiro, Kevin Hart, deixará o cargo. No setor financeiro, as ações da Amvescap caíram 2,06% e as da Schroders recuaram 1,00%, depois de a Merrill Linch rebaixar sua previsão para os lucros das duas empresas. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 registrou ganho de 41,40 pontos (0,88%), para 4.770,42 pontos. As ações da EADS, do setor de tecnologia aeroespacial e militar, subiram 6,50%, depois de o primeiro-ministro da França, Thierry Breton, reunir-se com diretores da empresa e afirmar que quer mudar o acordo entre os acionistas. As da CapGemini, do setor de tecnologia, avançaram 3,89%, em reação a comentários favoráveis de analistas. As da Veolia Environnement subiram 3,75%, após elevação de recomendação pelo UBS. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX avançou 54,38 pontos (1,00%), para 5.493,61 pontos. Um operador disse que o fato de os investidores não terem realizado lucros à tarde é um bom sinal para a perspectiva do mercado; o DAX tem nível de suporte em 5.390 pontos. As ações da Siemens subiram 1,99%, ainda em reação ao anúncio da aliança com a Nokia. As da ThyssenKrupp avançaram 1,87%, acompanhando a recuperação do setor de metais. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib subiu 204 pontos (0,58%), para 35.356 pontos. "O mercado redescobriu as ações da ENI e do Unicredito e reagiu positivamente à fusão Nokia-Siemens", disse um operador. As ações da ENI, do setor de energia, subiram 1,15%; as do Unicredito avançaram 2,50%. Outro destaque do pregão foi Mondadori, do setor editorial; suas ações subiram 3,00% ("mas poderiam ter subido 7%", disse um operador), depois de elevação de recomendação pelo Deutsche Bank e pela Bear Stearns; a empresa, controlada pelo ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi, anunciou a compra da unidade Revistas da britânica Emap na França por ? 545 milhões. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 terminou o dia com elevação de 46,70 pontos (0,42%), em 11.103,50 pontos. Este foi o segundo pregão consecutivo de altas do mercado espanhol. As ações da FCC subiram 2,00%; as da Arcelor avançaram 1,90%, em reação ao noticiário sobre fusões e aquisições no setor siderúrgico. As da Unión Fenosa subiram 1,41%, depois de seu chairman dizer que a empresa poderá elevar sua participação na Cepsa (Compania Española de Petróleos) de 5% para 10%; as ações da Cepsa fecharam no mesmo nível de ontem. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 24,48 pontos (0,26%), em 9.304,46 pontos. As ações do Banco Comercial Português fecharam no mesmo nível de ontem, as da Energias de Portugal caíram 0,68% e as da Portugal Telecom recuaram 0,11%. Operadores disseram que o comportamento do mercado português amanhã dependerá do desempenho das Bolsas dos EUA hoje. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

20 de junho de 2006 | 14h52

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.