Bolsas européias sobem com mineração e energia

As bolsas européias fecharam em alta, com ganhos destacados no setor de mineração e de energia. O mercado acionário da Itália também conseguiu terminar em terreno positivo depois da renúncia, ontem, do primeiro-ministro Romano Prodi. Frankfurt Em Frankfurt, o índice DAX encerrou com valorização de 0,5% em 6.973,73 pontos, após chegar à máxima de 7.012,34 pontos, nível que não atingia desde novembro de 2000. Basf, com elevação de 5,4%, e Allianz, com avanço de 4,1%, lideraram o ganho do mercado alemão. Deutsche Boerse declinou 3,6% com uma redução na recomendação do WestLB para seus papéis. Londres Em Londres, o índice FTSE 100 subiu 0,4% para 6.380,90 pontos. As ações do grupo de defesa BAE Systems tiveram expansão de 4,3% após a empresa informar que seu lucro líquido em 2006 avançou para 1,64 bilhão de libras (US$ 3,2 bilhões), de 553 milhões de libras no ano anterior. Entre as mineradoras, as ações da Rio Tinto registraram alta de 2,58% e as da BHP Billiton +2,15%. Paris Na Bolsa de Paris, o CAC-40 fechou com elevação de 0,2%, aos 5.707,86 pontos. Fora do índice, Maurel Et Prom subiu 6,5% com a expectativa de que a empresa anunciará a venda de um campo de petróleo para a ENI. Milão Em Milão, o índice S&P/MIB, subiu 0,4% para 42.456 pontos, reagindo pouco à renúncia de Prodi, ontem, após perder uma votação sobre política externa no Senado. Assessores de Prodi não descartavam ontem a possibilidade de o presidente Giorgio Napolitano pedir a Prodi para tentar formar um novo governo. Lisboa Em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 0,5%, em 12.170,10 pontos, em linha com os demais mercados europeus e estimulado pelo desempenho da Sonaecom, que teve ganho de 1,1%. A holding Sonae SGPS fechou em alta de 2,2%. A Portugal Telecom subiu 0,1% para 10,18 euros, ainda abaixo da oferta de 10,50 euros da Sonaecom. Com a alta do petróleo, também avançaram os papéis da Galp e EdP. Madrid Em Madrid, o índice IBEX-35 fechou estável em 14.791,3 pontos. Iberia subiu 5,3% com as notícias sobre uma aliança com a Lufthansa. Telefónica caiu 0,82%. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.