Bolsas europeias sobem com setor bancário

Mas nem todas as notícias foram positivas; a informação de que o banco belga Dexia registrou uma provisão sobre ativos de 3,6 bilhões de euros pode limitar a alta

Danielle Chaves, da Agência Estado,

27 de maio de 2011 | 09h19

As bolsas europeias sobem, sustentadas pelas ações do setor bancário, que avançam após relatos de que alguns players poderão evitar parte das exigências de capital estabelecidas pelas regras de Basileia 3. Mas nem todas as notícias foram positivas para o setor bancário. O belga Dexia registrou uma provisão sobre ativos de 3,6 bilhões de euros e as negociações com suas ações chegaram a ser suspensas antes do anúncio.

Uma prévia da legislação de Basileia 3 que ainda será publicada sobre a implementação dos novos padrões em toda a Europa foi divulgado pelo jornal britânico Financial Times. "Se esse for o caso, os principais beneficiários serão aqueles bancos que teriam de fazer grandes deduções para capital de seguro sob os princípios de Basileia 3", comentou o Banco de Investimento Espírito Santo. O banco citou Lloyds Banking Group e Credit Agricole como os dois principais beneficiários.

Comentários otimistas de corretoras também ajudaram a dar força para ações de bancos. O Citigroup elevou os bancos europeus para overweight e o Société Générale sugeriu que os bancos do Reino Unido estão em forma melhor do que muitos acreditam.

Às 9h24 (de Brasília), Lloyds Banking Group subia 2,63% em Londres e Credit Agricole avançava 4,24% em Paris. A Bolsa de Londres subia 1%, Paris avançava 1,17% e Frankfurt ganhava 0,55%.

Enquanto isso, o banco Dexia informou que vai ajustar o valor contábil líquido dos ativos garantidos em sua carteira de produtos financeiros ao valor de mercado por meio de uma provisão específica estimada em 1,8 bilhão de euros, com a intenção de vendê-los no futuro. O ajuste planejado permitirá que o Dexia negocie com a Comissão Europeia e os governos que forneceram ajuda financeira para a instituição durante a crise global e "vai levar à remoção de uma parte substancial do suporte estatal", afirmou o banco.

Outros setores também operam em alta na Europa, como o de empresas relacionadas a recursos básicos, sustentado pelo avanço dos preços das commodities em consequência da queda do dólar. No horário citado, Rio Tinto ganhava 2,01% em Londres. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.