Bolsas européias sobem com Vodafone e Philips

As ações sobem na Europa, com investidores aliviados pelo fato de a gigante de telefonia móvel Vodafone Group ter confirmado suas projeções de resultado. Os investidores estão entusiasmados também com a possibilidade de a companhia de produtos eletrônicos de consumo Philips Electronics conseguir um bom preço por sua unidade de semicondutores. Às 9h03 (de Brasília), o índice FT-100, da Bolsa de Londres, operava em alta de 0,77%; o índice Xetra-DAX, de Frankfurt, subia 0,65%; e o CAC-40, de Paris, registrava ganho de 0,46%. A desaceleração do petróleo também ajuda a manter os índices acionários europeus em alta. "O mercado considera agora o conflito entre Israel e o Hezbollah como isolado", disse Edward Meir, analista de energia da Man Financial. As ações da Vodafone subiram 2,7%, depois de informar crescimento de 9,2% em sua receita do segundo trimestre, ou de 6,4% em base orgânica, e indicar desempenho em linha as expectativas. A companhia disse prever crescimento orgânico entre 5% e 6,5% em suas receitas no ano. O grupo também anunciou que Bill Morrow, ex-chefe de suas operações no Japão, decidiu sair da companhia e voltar aos EUA por motivos familiares. A Vodafone informou ainda que o número de novos clientes cresceu 4,5 milhões no segundo trimestre, além de outros 11,7 milhões que ingressaram em sua carteira com a aquisição da provedora turca Telsim. Os papéis de outras empresas de telecomunicações, incluindo a British Telecom, a Telefonica, a Deutsche Telekom e a France Telecom, também subiram. Os papéis da France Telecom foram alavancados ainda pelo anúncio de que mantém negociações isoladas para a venda de 54% de sua participação na empresa de páginas amarelas PagesJaunesto, por cerca de 3,3 bilhões de euros (US$ 4,2 bilhões). As ações da Philips Electronics subiram 3,9%, com a notícia de que três grupos de investimento privado estão na fase final para lançamento de oferta de mais de US$ 10 bilhões pela divisão de semicondutores da empresa. Em outros setores, as ações da Astrazeneca subiram 3,5%, depois de informar, no final de semana, que a Food and Drug Administration (FDA) aprovou seu medicamento para asma Symbicort. O mercado previa que a aprovação iria demorar e, segundo especialistas, as ações da companhia deverão se beneficiar disto. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.