Bolsas européias sobem e Paris fecha em nível recorde

As principais bolsas européias fecharam em alta, com os mercados reagindo às altas dos preços do petróleo e dos metais. As ações do setor de tecnologia subiram em reação ao informe de resultados da sul-coreana Samsung. Entre as ações de empresas européias que divulgaram resultados, o destaque foi Philips, com queda de 1,11% em Amsterdã. Para David Moss, da F&C Asset Management, diminuíram os riscos relacionados a fatores que vinham tendo influência negativa nos mercados, como os temores sobre a economia dos EUA, os preços altos do petróleo e as tensões geopolíticas. Ao longo da semana, os investidores estarão atentos a informes de resultados de empresas, entre elas SKF, da Suécia, e Roche, da Suíça, amanhã, Akzo Nobel, da Holanda, na quarta-feira, Serono, Nestlé e Novartis, da Suíça, Ericsson e Husqvarna, da Suécia, e Nokia, da Finlândia, na quinta, e Saab, da Suécia, na sexta-feira. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 15,1 pontos, ou 0,25%, em 6.172,4 pontos, nível mais alto dos últimos cinco anos e meio. Entre os destaques do pregão estavam as ações dos setores de mineração e petróleo (Anglo American subiu 0,58%, BHP Billiton ganhou 1,10%, Lonmin avançou 4,07%, BP teve acréscimo de 1,35% e Shell registrou valorização de 1,08%). As ações da British Energy caíram 23,82%, depois de a empresa anunciar problemas técnicos que poderão levar à paralisação da produção em sua unidade Hinkley Point BR3; as ações de suas concorrentes subiram (Drax avançou 4,56% e Scottish Power teve alta de 1,56%). No setor de mídia, as ações do EMI Group subiram 1,57%, depois de a empresa divulgar resultados. No setor financeiro, as ações do Lloyds TSB recuaram 0,34%, depois de o Sunday Telegraph dizer que a instituição rejeitou uma oferta de aquisição de 8 bilhões de libras feita pelas seguradoras AXA, da França, e Swiss Re, da Suíça, por sua unidade Scottish Widows, do setor de seguros. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, encerrou com ganho de 8,74 pontos, ou 0,16%, em 5.361,97 pontos, novo nível recorde. Operadores disseram que o mercado não reagiu ao relatório do Banco Central da França, segundo o qual houve uma deterioração no ambiente para negócios no país. As ações da Mittal Steel subiram 2,23%, em meio a especulações sobre fusões no setor siderúrgico. As da Veolia Environnement avançaram 1,69%, depois de a empresa anunciar um contrato de 700 milhões de euros para operar centros de tratamento de lixo em duas cidades chinesas por 50 anos. No setor de petróleo, as ações da Total subiram 0,76%, depois de a empresa divulgar sua margem de lucro no terceiro trimestre. As ações da Danone, que divulga o informe de vendas no terceiro trimestre amanhã, subiram 0,09%. Frankfurt A Bolsa de Frankfurt terminou o dia com o índice Xetra-DAX em alta de 12,86 pontos, ou 0,21%, em 6.186,54 pontos. "O mercado está sem impulsos próprios, que poderiam dar uma nova direção para o DAX. O risco de consolidação cresce e muitos investidores estão ficando mais cautelosos", comentou um operador, notando os volumes reduzidos. As ações da TUI, do setor de turismo, subiram 2,33%, em reação a informes de que a empresa teria rejeitado uma oferta de aquisição. As da indústria de caminhões MAN caíram 2,59%, devido ao temor de que a empresa tenha que elevar sua oferta pela Scania, da Suécia. No setor de tecnologia, as ações da Infineon subiram 2,09%, após recomendação do Deutsche Bank. Segundo operadores, amanhã o mercado estará atento à pesquisa de sentimento sobre a economia alemã do instituto ZEW, ao índice de preços ao consumidor da zona do euro e ao índice de preços ao produtor dos EUA (PPI). Milão Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib fechou com acréscimo de 70 pontos, ou 0,18%, em 39.650 pontos, nível recorde. As ações da Banca Popolare Italiana subiram 3,57%, depois do anúncio do acordo para sua fusão com a Banca Popolare di Verona e Novara (cujas ações caíram 7,50%, com os investidores achando o preço muito alto). As ações da Alitalia registraram ganho de 5,13%, em meio à expectativa de uma reunião, amanhã, entre o primeiro-ministro Romano Prodi e o executivo-chefe da empresa, na qual poderá sair um pacote de medidas para a recuperação da companhia. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, encerrou com valorização de 22,10 pontos, ou 0,16%, em 13.476,60 pontos. A alta foi liderada pelas ações da Repsol, do setor de petróleo, que subiram 4,55% em meio a especulações sobre uma fusão. As ações da Albertis avançaram 1,90%, com o otimismo dos investidores quanto a uma fusão da empresa com a italiana Autostrade. No setor bancário, as ações do BSCH caíram 1,11%. As ações da Sacyr subiram 1,65%, com a expectativa de mais consolidação no setor de energia. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em queda de 21,77 pontos, ou 0,21%, em 10.434,00 pontos. Um operador disse que faltou ao mercado português o impulso dado a outras bolsas européias pelo noticiário sobre fusões e aquisições. "Em Portugal, ninguém está esperando por fusões até que seja resolvida a fusão entre Portugal Telecom e SonaeCom", disse o operador. Segundo ele, os investidores mostraram cautela antes de o governo de Portugal divulgar sua proposta de Orçamento para 2007, o que estava previsto para hoje depois do fechamento. Entre os destaques do pregão estavam Altri, que avançou 3,88%, e Cofina, que cedeu 3,29%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2006 | 14h49

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.