Bolsas européias sobem influenciadas por imobiliárias

As ações da Europa fecharam em leve alta, com os ganhos do setor imobiliário compensando a cautela antes da decisão sobre a taxa de juro nos Estados Unidos e o declínio dos papéis das varejistas Metro e Inditex. O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, encerrou com ganho de 0,2%, em 6.712,06 pontos, o CAC 40, de Paris, terminou em queda de 0,02%, em 5.502,18 pontos, e o DAX Xetra 30, de Frankfurt, subiu 0,18% para 6.712,06 pontos. As ações da anglo-francesa Hammerson subiram 4,8% depois de o Financial Times sugerir que a incorporadora imobiliária poderá receber uma oferta da Unibail, da França, ou de um consórcio de private equity (grupos que compram participações em empresas). Os papéis da Unibail avançaram 0,3%. Em Londres, os investidores reagiram favoravelmente à proposta de corte de impostos do secretário do Tesouro, Gordon Brown, e às minutas da última reunião do Banco (central) da Inglaterra. Entre os bancos, ABN Amro teve ganho de 0,5% e Barclays avançou 1,5%. Na terça-feira, os dois bancos anunciaram planos provisórios para o caso de uma fusão. O banco combinado teria sede em Amsterdã, faria uma listagem primária em Londres, elegeria um chairman do ABN e um executivo-chefe do Barclays. O Goldman Sachs elevou o setor bancário europeu, excluindo os bancos de investimentos, de neutro para overweight. As ações do Royal Bank of Scotland subiram 1,5% e as do Credit Agricole recuaram 0,6%. Em Lisboa, o PSI-20 caiu 0,4% para 11.555,64 pontos. Sonae subiu após divulgar fortes resultados ontem depois do fechamento. Galp avançou 1,1% com rumores de um acordo na área de gás com a russa Gazprom. BCP e BPI subiram 0,8% se beneficiando dos ganhos no setor bancário europeu. Sonaecom caiu 1,5% e EdP fechou em baixa de 0,5%. Em Madri, o IBEX-35 recuou 0,1% para 14.310,5 pontos. Iberia subiu 3,4% depois de o board autorizar a busca de opções para fusões e aquisições. Telefónica fechou em alta de 0,3%. As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

21 de março de 2007 | 15h05

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.