Bolsas europeias sobem por resultados corporativos

A alemã Bayer foi uma das empresas que apresentaram balanço com resultados acima do esperado, levando ânimo ao mercado

Sergio Caldas, da Agência Estado, com informações da Dow Jones Newswires,

28 de abril de 2014 | 13h57

As bolsas europeias fecharam em alta nesta segunda-feira, 28, sustentadas por notícias de empresas e novos sinais de recuperação da economia dos Estados Unidos. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia com ganho moderado de 0,19%, a 334,13 pontos.

O sentimento positivo na Europa começou com o anúncio de que a norte-americana Pfizer fez uma segunda proposta de compra pela anglo-sueca AstraZeneca, no valor de US$ 100 bilhões. A oferta, uma das maiores da história do setor farmacêutico, foi feita na sexta-feira, 25. Embora a AstraZeneca tenha recusado a proposta, suas ações saltaram 14,38% em Londres. A alemã Bayer, por sua vez, subiu 3,2% em Frankfurt após seu balanço superar as expectativas, com alta de 23% no lucro do primeiro trimestre.

Indicadores positivos norte-americanos também contribuíram para a alta das ações europeias. As vendas pendentes de imóveis nos EUA subiram 3,4% em março ante fevereiro, registrando sua primeira alta em nove meses e superando a previsão dos analistas, de aumento de 1,0%, enquanto o índice de atividade das empresas medido pelo Federal Reserve de Dallas avançou para 11,7 em abril, de 4,9 em março.

Algumas bolsas europeias chegaram a operar em baixa diante das incertezas em torno das novas sanções do Ocidente à Rússia, mas logo se recuperaram com a avaliação de que as últimas punições contra Moscou são relativamente brandas. As sanções vêm após Moscou falhar em respeitar um acordo para reduzir as tensões no leste da Ucrânia.

Em Londres, o índice FTSE 100 avançou 0,22%, a 6.700,16 pontos, enquanto em Paris, o CAC-40 subiu 0,38%, a 4.460,53 pontos. No mercado alemão, a Bayer liderou os ganhos e o DAX mostrou valorização de 0,48%, a 9.446,36 pontos. Também subiram em Frankfurt a Munich Re e a Deutsche Börse, ambas com altas de 1,2%, mas a Siemens caiu 2,5%, após fazer uma oferta pela divisão de energia da multinacional francesa Alstom, criando uma disputa com a General Electric. A Boygues, maior acionista da Alstom, subiu 2% na praça francesa.

Na bolsa espanhola, o IBEX 35 teve um ganho mais modesto, de 0,14%, a 10.320,90 pontos. Santander e Telefónica apresentaram leves alta de 0,07% e 0,10% em Madri, respectivamente. Em Milão, o índice FTSE Mib subiu 0,34%, a 21.513,82 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 avançou 0,24%, terminando a sessão a 7.355,78 pontos. (

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.