Bolsas europeias sofrem com intervenção em banco espanhol

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,91 ponto, ou 0,38%, a 238,02 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

24 de maio de 2010 | 15h09

Os principais índices do mercado de ações europeu fecharam sem direção definida, numa sessão em que os preços dos papéis de instituições financeiras perderam terreno em meio a preocupações com a possibilidade de a intervenção do banco central da Espanha no banco CajaSur trazer implicações negativas para o setor.

"Os eventos recentes devem servir de alerta para aqueles que simplesmente desejavam extrapolar o progresso feito no ano passado", disse Robert Talbut, executivo-chefe de investimentos da Royal London Asset Management. "Minha perspectiva é de que a economia mundial e os mercados financeiros estão mais arriscados do que a análise 'padrão' poderia indicar".

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,91 ponto, ou 0,38%, a 238,02 pontos. O FT-100, da Bolsa de Londres, subiu 6,68 pontos, ou 0,13%, para 5.069,61 pontos. O CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,19 ponto, ou 0,01%, para 3430,93 pontos. O DAX, da Bolsa de Frankfurt, caiu 23,57 pontos, ou 0,40%, para 5.805,68 pontos, enquanto em Madri, o índice Ibex-35 recuou 119,40 pontos, ou 1,27%, para 9.287,90 pontos.

Problemas na Espanha

No fim de semana, o Banco da Espanha assumiu o controle do CajaSur - a segunda instituição espanhola a entrar em colapso financeiro desde o início da crise global há mais de dois anos. O Cajasur, sediado em Córdoba, no sul do país, tem € 13 bilhões (US$ 16,35 bilhões) em empréstimos e detém 0,6% do total de ativos do sistema financeiro espanhol.

Segundo analistas do Goldman Sachs, os problemas dos bancos de poupança espanhóis como o Cajasur são pequenos, mas essas instituições respondem por 40% dos ativos totais do setor bancário espanhol e por 48% do total de empréstimos no país.

Os bancos espanhóis puxaram a queda dos índices europeus. O Banco Bilbao Vizcaya Argentaria recuou 2,0% e o Banco Santander perdeu 1,2%. As ações de petróleo e gás também pesaram sobre as bolsas após a BP admitir que sua capacidade de absorção do óleo derramado no Golfo do México diminuiu pelo terceiro dia consecutivo. Os papéis da BP caíram 2,7% - queda mais acentuada entre os componentes do FT-100.

Os demais papéis que fecharam em território negativo, no entanto, tiveram quedas menos acentuadas e alguns mercados financeiros da região estavam fechados nessa segunda-feira devido a um feriado.

As companhias de mineração fecharam em alta. Rio Tinto subiu 1,7% e Anglo American avançou 2%. No setor aéreo, a British Airways - que enfrenta uma greve de funcionários - caiu 0,9%.

A segunda-feira trouxe poucos indicadores, o que contribuiu para manter o mercado pouco movimentado. As vendas de imóveis residenciais usados nos EUA subiram em abril, mas muitos analistas atribuíram o avanço aos benefícios fiscais oferecidos pelo governo norte-americano aos compradores. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaEuropabancoscrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.