Bolsas europeias têm alta moderada, exceto Londres

Apesar de persistirem as preocupações com Espanha e Grécia, a maioria dos mercados fechou no azul após fortes perdas nas últimas sessões

Sergio Caldas, da Agência Estado,

25 de julho de 2012 | 14h37

As bolsas europeias fecharam em sua maioria em alta nesta quarta-feira, após as fortes perdas em pregões recentes, embora continuem as preocupações com a situação delicada da Espanha e da Grécia.

O dia foi de volatilidade, com as ações inicialmente sustentadas por um comentário favorável de Ewald Nowotny, membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), e depois pressionadas pelos últimos dados do mercado imobiliário nos Estados Unidos.

Os mercados reagiram bem depois de Nowotny afirmar que o proposto fundo permanente de ajuda da zona do euro, o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), deverá receber uma licença bancária, o que lhe permitiria tomar empréstimos do BCE.

Mais tarde, no entanto, as ações na Europa ficaram sob pressão após o Departamento de Comércio dos EUA informar que as vendas de moradias novas no país caíram em junho para o nível mais baixo em cinco meses. A quantidade de casas novas vendidas apresentou uma forte queda de 8,4% ante maio, para 350 mil unidades, o menor resultado desde janeiro.

O índice FTSE Mib, de Milão, teve o melhor desempenho do dia, avançando 1,17%, para 12.506,74 pontos. No melhor momento, o índice italiano avançou mais de 2%, reduzindo parte dos ganhos na sequência dos números dos EUA.

Em seguida veio o índice de Madri, o Ibex-35, que subiu 0,82%, encerrando o pregão aos 6.004,90 pontos. Na terça, a bolsa espanhola havia registrado queda de 3,58%. Entre as ações mais negociadas, os bancos BBVA e Santander ganharam 0,1% e 0,9%, respectivamente.

Em Paris, o índice CAC-40 teve valorização de 0,23% e terminou aos 3.081,74 pontos. O comentário de Nowotny impulsionou as ações do setor financeiro, com Société Générale, Crédit Agricole e o BNP Paribas avançando 1,2%, 1,4% e 0,4%, respectivamente. Já a Peugeot caiu 2,5%, depois de anunciar um forte prejuízo no primeiro semestre do ano.

O índice DAX, de Frankfurt, finalizou o dia aos 6.406,52 pontos, em alta de 0,25%. Dados negativos do índice IFO de confiança das empresas da Alemanha, que já eram esperados, tiveram um efeito mínimo sobre o indicador, segundo um trader. BMW e Volkswagen tiveram ganhos idênticos de 1,3% e a Siemens subiu 0,5%. O Deutsche Bank, em contrapartida, despencou 4,1%, pressionado por um alerta de lucro feito na terça.

A exceção foi a bolsa de Londres. O índice FTSE-100 teve uma ligeira queda de 0,02%, finalizando o pregão aos 5.498,32 pontos. O BT Group recuou 3,3% depois de anunciar resultados trimestrais abaixo do esperado. Já a ARM Holdings, do ramo de semicondutores e software, deu um salto de 8,6%, por causa de seu bom desempenho no segundo trimestre.

Apesar da alta da maioria das bolsas europeias, o índice Stoxx Europe 600 recuou 0,1% e encerrou o quarto pregão seguido de baixa, aos 250,39 pontos.

Entre as Bolsas menores, a de Atenas acabou os negócios desta quarta-feira com ganho de 0,3%. O índice grego, conhecido como ASE, fechou aos 588,09 pontos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropafechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.