Bolsas europeias têm direções distintas

Volatilidade nos mercados aumenta em consequência da redução das negociações com a proximidade do fim do ano

Danielle Chaves, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2010 | 09h03

As bolsas europeias passaram a apresentar leve alta depois de abrirem a sessão desta quarta-feira em queda, enquanto a volatilidade nos mercados aumenta em consequência da redução das negociações com a proximidade do fim do ano. Segundo analistas, os investidores estão relutantes em assumir novas posições nesse ambiente

Entre os poucos fatores de sustentação para as ações o destaque foi uma notícia do português Jornal de Negócios de que a China estaria pronta para comprar entre 4 bilhões e 5 bilhões de euros em bônus de Portugal para ajudar o país a refinanciar sua dívida soberana no primeiro trimestre de 2011. O euro também foi beneficiado pela informação e opera em alta diante do dólar.

Na balança negativa, porém, pesa a greve de 24 horas dos trabalhadores dos transportes públicos na Grécia - a terceira em três semanas - para protestar contra as reformas implementadas pelo governo. Hoje o parlamento grego vai votar sobre o orçamento de 2011. Também limita os ganhos das bolsas a notícia de que a Coreia do Sul está se preparando para outro treino militar amanhã perto da fronteira com a Coreia do Norte.

Além disso, o sentimento dos investidores continua frágil em relação à crise da zona do euro, especialmente depois que ontem a Moody''s colocou Portugal em revisão para possível rebaixamento e a Fitch fez o mesmo com a Grécia. Diante do franco suíço, nesta manhã o euro renovou a mínima histórica, a 1,2493 franco.

Mais tarde a atenção dos investidores deve se voltar para indicadores econômicos a serem divulgados nos EUA. O PIB revisado do terceiro trimestre está previsto para as 11h30 (de Brasília), seguido pelas vendas de residências usadas, às 13h.

Às 11h47 (de Brasília), a Bolsa de Londres subia 0,33%, Frankfurt cedia 0,01% e Paris caía 0,07%, enquanto o euro tinha queda e era cotado a US$ 1,3120, de US$ 1,3101 no fim da tarde de ontem. O petróleo para fevereiro negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex) subia 0,33%, para US$ 90,12 por barril.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasEuropaPortugalbônusChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.