Bolsas europeias têm leve alta com notícias corporativas

Ganhos só não foram maiores porque indicadores negativos nos EUA pesaram sobre o sentimento dos investidores

Agencia Estado,

29 de julho de 2013 | 13h48

As bolsas da Europa fecharam em leve alta nesta segunda-feira, 29, impulsionadas por notícias corporativas, em especial a fusão das agências de publicidade Publicis e Omnicom. Os ganhos não foram maiores porque indicadores negativos nos EUA pesaram sobre o sentimento, enquanto os investidores aguardam as reuniões do Banco Central Europeu (BCE) e do Federal Reserve, esta semana. O índice pan-europeu Stoxx 600 teve alta de 0,05%, a 299,06 pontos.

O dia começou com a notícia de que duas das maiores empresas de propaganda do mundo fecharam um acordo para associação. A norte-americana Omnicom Group e francesa Publicis anunciaram a criação do maior grupo publicitário do mundo com valor de mercado de US$ 35,1 bilhões e 130 mil funcionários. Juntas, a agência ultrapassarão a inglesa WPP em tamanho. O negócio deu força às ações do setor de marketing na Europa.

Outra notícia é o anúncio de que a norte-americana Perrigo chegou a um acordo para a compra da irlandesa Elan por US$ 8,6 bilhões. A informação foi divulgada na manhã desta segunda-feira após várias empresas sondarem a farmacêutica irlandesa. Os papéis da Elan ganharam 3,68% hoje na Bolsa de Dublin.

Entre os indicadores divulgados nesta segunda na Itália o índice de confiança das empresas subiu para 79,6 em julho, de 76,4 em junho. No Reino Unido, o volume de empréstimos concedidos para aquisição de residência cresceu 981 milhões de libras em junho, a maior alta desde abril do ano passado. Já nos EUA, o índice de atividade industrial do Meio-Oeste, elaborado pelo Federal Reserve de Chicago, subiu 0,4% em junho ante maio, para 96,0 pontos. O índice de atividade das empresas medido pelo Fed de Dallas caiu para 4,4 em julho, de 6,5 em junho. E a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis (NAR, na sigla em inglês) divulgou que o índice de vendas pendentes recuou para 110,9 em junho.

Nesse cenário, o índice FTSE, da Bolsa de Londres, subiu 0,08%, fechando a 6.560,25 pontos. As mineradoras lideraram os ganhos hoje, com destaque para Randgold Resources (+3,77%), Fresnillo (+2,44%) e Eurasian Natural Resources (+2,28%). Já o Barclays perdeu 3,47%, após confirmar que deve anunciar amanhã uma possível emissão de novas ações, para melhorar seus níveis de capital.

Em Paris, o índice CAC-40 fechou praticamente estável, com alta de 0,07 ponto (0,00%), a 3.968,91 pontos. A Publicis encerrou a sessão com alta de 0,08%. A EDF, que divulga balanço amanhã, teve queda de 0,30%. A Danone, que reportou resultados melhores do que o esperado para o primeiro semestre, avançou 3,15%.

O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, avançou 0,17% e terminou a 8.259,03 pontos. O Commerzbank perdeu 1,62%, após a autoridade supervisora do sistema bancário, a Bafin, afirmar que o banco pode ter de promover novas baixas contábeis nos seus empréstimos marítimos, o que pode levar a novas ações para levantar capital. A Siemens teve desvalorização de 0,83%, depois de anunciar no fim de semana a substituição do executivo-chefe Peter Loescher.

Na Bolsa de Milão, o índice FTSE-Mib caiu 0,89%, para 16.275,71 pontos. Em Madri, o índice IBBEX-35 subiu 0,27%, a 8.376,10 pontos. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, registrou perda de 0,15%, a 5.752,59 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.