Bolsas européias têm leve baixa; setor bancário pesa

As principais bolsas européias operam com pequena queda nesta manhã, com as perdas de ações de bancos compensando valorizações de empresas de artigos de luxo e de fabricantes de automóveis. Os índices de ações, no entanto, seguem perto de seus maiores níveis em vários anos. Às 9h55 (de Brasília), o índice FT-100, da Bolsa de Londres, caía 0,15%. Em Frankfurt, o índice Dax cedia 0,03% e na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 também recuava 0,03%. As ações do banco francês BNP Paribas desvalorizavam 3,4%. Embora tenha anunciado lucro líquido maior que o esperado referente ao quarto trimestre, o lucro operacional veio levemente abaixo do esperado. O balanço do grupo também despertou preocupações quanto ao desempenho de suas operações de varejo. Société Generale, outro banco francês, que já havia caído ontem por causa dessas mesmas preocupações, pedia 1,8% hoje. Credit Agricole cedia 2,6%. Credit Suisse, ao contrário, ganhava 3,6%, depois de anunciar balanço trimestral acima das previsões. O setor automobilístico, por sua vez, é ajudado pelo ganho de 5,3% da montadora alemã DaimlerChrysler. Os investidores gostaram das medidas de reestruturação anunciadas pelo grupo. A fabricante de pneus Michelin valorizava 3,8%, depois de divulgar previsões positivas para 2007. Também registravam fortes ganhos, após anunciarem resultados trimestrais favoráveis, a Danone (+3,2%), a Diageo (+3,2%) e o grupo francês de bens de luxo Louis Vuitton Moet Hennessy - LVMH (+3,6%). Em Londres, as ações do grupo editorial anglo-holandês Reed Elsevier avançavam 5%, depois de a empresa anunciar aumento de 7% do lucro por ação ajustado e reiterar que planeja vender operações nos EUA. Do lado das perdas, a companhia do setor de construção Wolseley recuava 3,1%, com reportagens informando que o interesse de outros grupos em comprar a companhia diminuiu. As informações são de agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.