Bolsas na Ásia fecham com sinais diferentes; HK cai 0,07%

Yuan subiu em relação ao dólar pela terceira sessão consecutiva, depois de atingir no intraday a máxima histórica

Hélio Barboza e Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

21 de julho de 2011 | 07h47

As bolsas asiáticas fecharam com sinais diferentes, mas a leitura preliminar do índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do HSBC China pesou nos mercados de Hong Kong e da própria China. O indicador sinalizou uma desaceleração da atividade industrial na segunda maior economia do mundo. Resultados ruins das empresas de tecnologia derrubaram a Bolsa de Seul.

A Bolsa de Hong Kong fechou praticamente estável depois que a fraca leitura preliminar do HSBC PMI renovou a preocupação de que o crescimento da China possa desacelerar no segundo semestre. A alta das ações da peso pesado China Mobile compensou parte das perdas e o índice Hang Seng terminou o pregão com recuo de apenas 0,07%, fechando aos 21.987,29 pontos.

O HSBC PMI contribuiu para a queda das bolsas chinesas, onde se somou ao temor de alta da inflação. O índice Xangai Composto declinou 1% e fechou aos 2.765,89 pontos, e o índice Shenzhen Composto caiu 1,1% e terminou aos 1.206,08 pontos.

O yuan subiu em relação ao dólar pela terceira sessão consecutiva, depois de atingir no intraday a máxima histórica. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,4516 yuans, de 6,4595 yuans do fechamento de quarta-feira. A moeda norte-americana chegou a ser negociada na mínima histórica de 6,4505 yuans. O banco central chinês fixou a paridade central em 6,4536 yuans por dólar, também o menor nível histórico, ante 6,4592 yuans por dólar na quarta-feira.

Em Taiwan, a Bolsa de Taipé fechou em leve alta. O volume pesado de vendas na realização de lucros após a alta de 2,1% na quarta-feira foi compensado pela entrada de novos investidores, disse o analista da Capital Securities Andrew Teng. O índice Taiwan Weighted subiu 0,13% e terminou aos 8.717,14 pontos.

O índice Kospi da Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, recuou 0,5% e fechou aos 2.145,04 pontos.

O índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney, na Austrália, teve leve alta, de 0,1%, e fechou aos 4.556,0 pontos.

Já a Bolsa de Manila, nas Filipinas, encerrou em baixa. O índice PSE recuou 0,6% e terminou aos 4.480,01 pontos.

A Bolsa de Cingapura fechou em alta com renovadas expectativas de que encontro de líderes da zona do euro promova um pacote de resgate à Grécia. O índice Straits Times subiu 0,4% e fechou aos 3.138,51 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, ganhou 0,4% e fechou em novo recorde de 4.068,07 pontos, liderado por compras de papéis relacionados a commodities na expectativa de fortes resultados no primeiro semestre.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, avançou 0,3% e fechou aos 1.104,15 pontos, uma vez que o retorno do interesse dos investidores estrangeiros em recentes sessões está ajudando a impulsionar o sentimento.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, valorizou 0,2% e fechou aos 1.565,81 pontos, com a forte estreia de Bumi Armada ajudando na confiança do investidor em meio a fraco desempenho regional. As informações são da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasÁsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.