Bolsas na China lideram ganhos das ações na Ásia

Os mercados de ações da região da Ásia e do Pacífico fecharam em alta nesta terça-feira, dando continuidade a uma sequência de ganhos, apesar da falta de grandes catalisadores macroeconômicos. O destaque do pregão ficou por conta das bolsas na China e em Hong Kong, onde as ações seguem ganhando tração diante de expectativas de alívio no setor imobiliário.

AE, Agência Estado

29 de julho de 2014 | 08h33

O índice Hang Seng, de Hong Kong, se elevou 0,87%, aos 24.640,53 pontos, estendo a série de avanços para seis sessões consecutivas. "Este movimento pegou muitos investidores de surpresa", disse David Welch, diretor de operações de vendas de ações na Reorient Financial Markets em Hong Kong.

Segundo Welch, há "ainda muitas" apostas pessimistas sobre o setor imobiliário, apesar de novos sinais de que o governo chinês está aliviando as restrições deste mercado para impulsionar as vendas. A desaceleração no comércio de residências resultou em uma queda de 9,2% nas vendas de imóveis no primeiro semestre de 2014, ao mesmo tempo os preços caíram em junho pelo segundo mês seguido.

Na China continental, o índice Xangai Composto encerrou com alta de 0,24%, aos 2.183,19 pontos, o maior nível de fechamento desde 13 de dezembro. A bolsa local continua sendo impulsionada por papéis de bancos e incorporadoras imobiliárias diante da atual recuperação da economia chinesa. Entre os destaques, as ações do Bank of Communications saltaram 6,64% após o credor informar que está analisando um plano que permitirá um investimento privado maior na instituição.

O índice Shenzhen Composto terminou com elevação de 1,05%, aos 1.145,74 pontos, e o índice Kospi, de Seul, avançou 0,64%, para 2.061,97 pontos.

Em Sydney, o índice S&P/ASX 200 fechou com leve alta de 0,20%, aos 5.588,40 pontos, à espera de indicadores importantes dos EUA, ao longo da semana, e da decisão de política monetária do Federal Reserve, na quarta-feira. As ações da Rio Tinto avançaram 0,60% e da Fortescue Metals ganharam 2,32%. Com informações da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
ÁsiaBolsas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.