Bolsas na Europa encerram com ganhos sob expectativa de solução para crise local

Investidores, diz analista da Capital Spreads, aguardam um resultado das discussões entre líderes europeus 

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 15h11

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta hoje, impulsionados por notícias de que os líderes da zona do euro avançavam na tomada de decisões para enfrentar a crise da dívida soberana.

O índice pan-europeu Stoxx 600 ganhou 1,30%, ou 3,10 pontos, para fechar em 242,03 pontos. As ações estavam em alta nos Estados Unidos no momento do fechamento dos mercados na Europa, após a divulgação dos grandes ganhos da fabricante de equipamentos Caterpillar.

Na França, o índice CAC 40 subiu 1,55%, para 3.220,46 pontos. O banco Société Générale ganhou 4,1%. Na Alemanha, o DAX 30 fechou em alta de 1,41%, a 6.055,27 pontos, com Commerzbank subindo 3,2%.

Os líderes da União Europeia informaram, no domingo, que fizeram progressos e vão anunciar, na próxima quarta-feira, um pacote abrangente de medidas para enfrentar a crise da dívida. O pacote deve focar a recapitalização de bancos europeus, lidando com a dívida da Grécia e fortalecendo o poder de fogo da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês).

A crise da dívida europeia é "certamente a maior preocupação", disse Angus Campbell, chefe de vendas da Capital Spreads. "Os investidores ainda estão esperando pelo resultado das discussões."

Os investidores também digeriram as notícias de que a atividade do setor de serviços da zona do euro se contraiu em um ritmo mais rápido em outubro. O índice composto de gerentes de compra (PMI, na sigla em inglês) para a zona do euro caiu para 47,2 em outubro - o nível mais baixo desde julho de 2009 - de 49,1 em setembro, apontou leitura preliminar.

Os dados da Europa de hoje "vieram muito pobres", disse Campbell. "Todos estão falando de novo em recessão na Europa. A probabilidade disso aumentou", afirmou o analista. Ele notou, porém, que uma resolução para a crise da zona do euro aumentará a confiança.

As ações da Grécia resistiram à onda positiva, com o índice ASE Composite perdendo 4,5%, para fechar em 747,08 pontos. Piraeus Bank recuou mais de 22%, Alpha Bank perdeu 19,1% e National Bank of Greece caiu 21%.

As perdas ocorreram após notícias da imprensa não confirmadas de que os detentores de títulos privados podem ter de assumir até 60% de perdas em títulos da dívida grega. Isso seria muito maior que o desconto (haircut) de 21% fechado no acordo de julho.

Na Itália, o índice FTSE MIB reverteu o sinal negativo para fechar em alta de 0,72%, em 16.232,26 pontos. O primeiro-ministro Silvio Berlusconi pediu uma reunião especial do gabinete para a noite de hoje, após ser pressionado por líderes da zona do euro em um encontro no fim de semana, em Bruxelas, a fazer mais para fortalecer o crescimento da Itália e reduzir a dívida do país.

Em Londres, o FTSE ganhou 1,08%, para 5.548,06 pontos. As mineradoras lideraram as altas, após a China registrar uma expansão no setor manufatureiro em outubro. Entre os papéis das mineradoras, Antofagasta ganhou 7,5%, Kazakhmys avançou 8% e Rio Tinto teve alta de 7,1%.

Na Espanha, o índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, fechou em alta de 1,18%, em 8.957,10 pontos. Na contramão, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, fechou em queda de 0,28%, em 5.976,49 pontos. As companhias de aço e materiais de construção da Europa também subiram, com Kloeckner & Co. (+7,7%) e HeidelbergCement (+6%) em Frankfurt. ArcelorMittal subiu 5,5% em Amsterdã. Os bancos britânicos também tiveram altas, com Barclays subindo 2,6% e Lloyds ganhando 5,3%.

Outra grande ganhadora na Europa foi a Faurecia, cujas ações saltaram 12,3% em Paris, após a fabricante de partes de carro informar que suas vendas no terceiro trimestre subiram 16% em comparação com o mesmo período de 2010. A companhia confirmou suas metas para 2011.

As ações da TomTom ganharam quase 19% em Amsterdã após a fabricante de sistemas de navegação lançar um programa de reestruturação que incluirá cortes de funcionários e informar sobre um aumento em seu lucro líquido no terceiro trimestre. A companhia também afirmou que espera ter resultados de lucro para o ano todo próximos do número máximo de sua previsão.

Em Zurique, as ações da Nobel Biocare subiram 14,4%, após informações não confirmadas da imprensa de que companhias de private equity podem fazer uma oferta pela fabricante de produtos dentais. Um porta-voz da Nobel Biocare confirmou comentários feitos pelo chairman da empresa, segundo os quais não há nenhuma oferta nem conversas em andamento.

Em Helsinque, as ações da Nokia ganharam 3,8%. Analistas do Deutsche Bank elevaram seu preço-alvo para as ações da fabricante de celulares, ainda que tenham mantido o rating da companhia, graças à incerteza no mercado no longo prazo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasEuropacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.