Bolsas na Europa fecham em alta, puxadas por ações de bancos

Índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 3,30 pontos, ou 1,36%, para 246.06 pontos

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

07 de julho de 2010 | 14h04

As principais bolsas europeias encerraram em alta, ajudadas por um rali das ações do setor bancário, que foi desencadeado pela esperança de que a divulgação dos resultados dos testes de estresse dos bancos, que estão sendo realizados pela União Europeia, mostrará dados melhores do que o esperado. O índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 3,30 pontos, ou 1,36%, para 246.06 pontos.

"Com a proximidade da temporada de balanços, é possível que a rentabilidade das empresas contribua para tranquilizar o mercado, mas isso só acontecerá, se for combinado com a redução das preocupações a respeito da dívida soberana e dos bancos europeus", disse o economista da Evolution Securities Gary Jenkins.

Relatos que circularam nesta quarta-feira sinalizaram que o critério usado pelo CBES para medir a saúde dos bancos pode ser muito mais generoso do que o esperado. Os testes de estresse aceitam a hipótese de uma queda de 17% do valor dos títulos do governo grego que os bancos possuem, de acordo com duas reportagens.

Em Londres, o índice FTSE-100 subiu 49,82 pontos, ou 1,00%, para 5.014,82 pontos, revertendo as perdas iniciais e superando o nível dos 5 mil pontos. Os papéis da British Petroleum avançaram 4,8%, com a especulação de que a companhia está explorando a possibilidade de vender uma participação estratégica para o Emirado de Abu Dabi.

As ações da Marks & Spencer perderam 2,64%, uma vez que a operadora de lojas de departamento britânica disse que permanece cautelosa sua perspectiva sobre os gastos dos consumidores. A companhia registrou uma alta de 3,6% nas vendas comparáveis no primeiro trimestre no Reino Unido.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX, aumentou 51,88 pontos, ou 0,87%, para 5.992,86 pontos, se recuperando de suas perdas iniciais, impulsionado pelos papéis do setor financeiro. Commerzbank e Deutsche Bank subiram 3,67% e 3,75%, respectivamente. As ações das montadoras foram impulsionadas, após a montadora francesa reportar um crescimento das suas vendas no primeiro semestre. BMW avançou 1,92%, enquanto Daimler subiu 1,78%.

O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 60,08 pontos, ou 1,76%, para 3.483,44 pontos, conduzido pelo setor bancário. Société Generale avançou 7,04%, Credit Agricole subiu 6,86% e BNP Paribas ganhou 5,92%. As ações da montadora Peugeot Citroën subiram 2,92%, após a companhia anunciar que suas vendas de veículos novos subiram aproximadamente 17%, para 1,86 milhão de toneladas no primeiro semestre.

O índice IBEX 35, da Bolsa de Madri, subiu 372,40 pontos, ou 3,87%, para 9.987,40 pontos, também conduzido pelas ações dos bancos. Banco Santander subiu 6,47%, BBVA ganhou 6,25% e Banco Popular aumentou 9,3%. A construtora Sacyr Vallehermoso recuou 9,52%, após o Goldman Sachs dizer que está vendendo 4% das ações da companhia.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 encerrou com elevação de 1,26 pontos, ou 1,61%, em 7.376,27 pontos. Banco Espírito Santo subiu 3,83%. EDP Renováveis avançou 2,36%, enquanto a Galp Energia caiu 0,16%. Segundo a agência de notícias portuguesa Lusa, o ministro das Finanças de Portugal, Fernando Teixeira dos Santos, disse no Parlamento que o governo venderá participações nas duas empresas ainda neste ano. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
frankfurtdaxcac

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.