EFE/EPA/ALEXEI NIKOLSKY / KREMLIN POOL / SPUTNIK / POOL
EFE/EPA/ALEXEI NIKOLSKY / KREMLIN POOL / SPUTNIK / POOL

Bolsas da Ásia fecham em baixa, após Putin autorizar tropas no leste da Ucrânia

Presidente russo autorizou envio de tropas para as regiões separatistas de Donetsk e Luhansk

Sergio Caldas*, O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2022 | 08h19

As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta terça-feira, 22, pressionadas por uma nova escalada nas tensões entre Ucrânia e Rússia.

Na segunda, 21, o presidente russo, Vladimir Putin, autorizou o envio de tropas para as regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia, depois de reconhecê-las como repúblicas independentes. A decisão veio um dia após esforços do presidente francês, Emmanuel Macron, de negociar uma saída diplomática para a crise.

Antes mesmo do anúncio do envio de tropas, a União Europeia e os Estados Unidos sinalizaram a aplicação de sanções contra a Rússia e os governos pró-Moscou de Donetsk e Luhansk.

O Hang Seng liderou as perdas na Ásia hoje, com queda de 2,69% em Hong Kong, a 23.520,00 pontos. A ação do HSBC sofreu um tombo de 3,59% na bolsa local. O banco britânico, que tem foco no mercado asiático, mais do que triplicou seu lucro no quarto trimestre de 2021, mas também fez provisão adicional de US$ 450 milhões no período para prováveis perdas ligadas principalmente aos transtornos sofridos pelo setor imobiliário da China.

Em outras partes da região asiática, o índice japonês Nikkei caiu 1,71% em Tóquio, a 26.449,61 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 1,35% em Seul, a 2.706,79 pontos, e o Taiex registrou perda de 1,38% em Taiwan, a 17.969,29 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve baixa de 0,96%, a 3.457,15 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 1,23%, a 2.297,30 pontos.

Na Oceania, o preocupante quadro do Leste Europeu também pesou na bolsa australiana, e o S&P/ASX 200 recuou 1% em Sydney, a 7.161,30 pontos.

* Com informações da Dow Jones Newswires

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.