Bolsas sobem em NY puxadas por PMI industrial dos EUA

As bolsas dos Estados Unidos fecharam o pregão desta quinta-feira, 22, em alta, com ações de empresas de alto potencial de crescimento e small-caps liderando os ganhos, especialmente do setor de tecnologia. Investidores também digeriram dados econômicos norte-americanos. O número de atividade industrial surpreendeu positivamente, mas outros indicadores tiveram desempenho abaixo do previsto.

Agencia Estado

22 de maio de 2014 | 19h05

O índice Dow Jones fechou com alta de 10,02 pontos (0,06%), a 16.543,08 pontos. O índice S&P 500 avançou 4,46 pontos (0,24%), a 1.892,49 pontos, e o Nasdaq subiu 22,80 pontos (0,55%), a 4.154,34 pontos.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) industrial dos EUA foi o principal responsável pelo otimismo, ao saltar para 56,2 em maio, de 55,4 em abril. No entanto, outros dados que vieram aquém das expectativas limitaram os ganhos das bolsas. O número de pedidos de auxílio-desemprego, por exemplo, subiu 28 mil na semana passada, para 326 mil, superando a previsão de avanço para 310 mil. Já as vendas de moradias usadas nos EUA subiram 1,3% em abril ante março, menos que a alta de 2,0% prevista por analistas. Além disso, o índice de atividade nacional do Federal Reserve de Chicago recuou para -0,32 em abril, de +0,34 em março.

"Mais uma vez, começamos o ano pensando que haveria uma aceleração do crescimento, e as pessoas estão percebendo que a economia não está pronta para avançar", disse Dan Greenhaus, estrategista-chefe de mercado da corretora BTIG.

O movimento desta quinta contrastou com as oscilações das duas últimas sessões. Na quarta-feira, o Dow subiu 158,75 pontos (0,97%), no maior ganho diário em pontos e porcentual desde 16 de abril. A valorização veio após uma onda de vendas que levou o índice a recuar 0,83% na terça-feira, para o menor fechamento desde 25 de abril.

No universo corporativo, as ações de tecnologia, em sua maioria, registraram valorização, mas a HP recuou 2,28% após a empresa ter decepcionado investidores com o balanço, divulgado antes do horário previsto e do fechamento do mercado. A HP teve receita de US$ 27,3 bilhões e um lucro líquido ajustado de US$ 0,88 por ação no segundo trimestre fiscal. A companhia informou ainda que cortará entre 11 mil e 16 mil postos de trabalho, além dos 34 mil que já haviam sido anunciados, como parte do seu plano de reestruturação.

As ações da empresa de e-commerce chinesa JD.com subiram 10,00% após a sua oferta inicial de ações. Os papéis foram precificados em US$ 19 na quarta-feira, valor acima do esperado.

A Best Buy avançou 3,43% depois que os lucros trimestrais da varejista de eletrônicos superaram as estimativas de analistas, embora a empresa tenha relatado que espera queda nas vendas em mesmas lojas no atual e no terceiro trimestres fiscais.

Na Europa, a Bolsa de Londres caiu 0,01% e Milão recuou 1,09%. Frankfurt subiu 0,24% e Paris ganhou 0,21%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas de Valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.