Bolsas têm sessão volátil em NY mas fecham em alta

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sexta-feira, 16, em sessão marcada pela volatilidade, impulsionadas pelas ações de empresas dos setores de telecomunicações e de bens de consumo.

LETICIA PAKULSKI, Agencia Estado

16 de maio de 2014 | 18h53

O índice Dow Jones fechou em alta de 44,50 pontos (0,27%), aos 16.491,31 pontos. Na semana, o índice perdeu 0,55%. O S&P 500 subiu 7,01 pontos (0,37%), para 1.877,86 pontos, acumulando, no entanto, queda semanal de 0,03. O Nasdaq encerrou com ganhos de 21,30 pontos (0,52%), aos 4.090,59 pontos, e alta semanal de 0,46%.

Os mercados de ações passaram a maior parte do dia oscilando entre perdas e ganhos, com baixo volume de negócios, antes de se firmarem em alta perto do final da sessão. A volatilidade ocorreu porque investidores pesaram dados positivos de construção de moradias contra resultados irregulares da atual temporada de balanços e perspectivas incertas para as ações de pequenas empresas.

Investidores se dizem otimistas com o ritmo de crescimento econômico, mas a desaceleração no início do ano inquietou parte do mercado. Muitos afirmam que preferem se posicionar de forma conservadora. Operadores têm poucos incentivos para assumir grandes posições no mercado de ações dada a recuperação econômica irregular até o momento, defendeu Michael Farr, presidente da empresa de gerenciamento de ativos Farr, Miller & Washington. "Não há motivo para assumir risco extra", afirmou Farr. "Este é um momento de cautela com a economia se reconstruindo e se recuperando."

Apesar do otimismo com a construção de moradias, o dado do sentimento do consumidor veio abaixo do previsto. As construções de moradias iniciadas saltaram 13,2% em abril ante março, superando de longe a previsão de alta de 3,1%, enquanto o índice de sentimento do consumidor, medido pela Reuters e pela Universidade de Michigan, caiu para 81,8 na leitura preliminar de maio, de 84,1 em abril, ficando abaixo da projeção dos analistas, de 84,3.

O mercado acionário também foi ajudado pelo noticiário corporativo. Os resultados da J.C. Penney (+16,25%) e da Nordstrom (+14,73%) superaram as expectativas e as ações da Verizon avançaram 2,31%, ajudando o Dow Jones, após a notícia de que a Berkshire Hathaway, do megainvestidor Warren Buffet, comprou 11 milhões de ações da empresa no primeiro trimestre.

Entre as perdas, a Abbot Laboratories caiu 0,46% depois de a fabricante de medicamentos ter anunciado um acordo para comprar a empresa de genéricos CFR Pharmaceuticals por US$ 2,9 bilhões. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas de Valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.