Bom humor domina negócios e Bovespa

Às 16h21, o Ibovespa registrava alta de 1,31%, aos 67.168 pontos 

Luciana Collet, da Agência Estado ,

16 de fevereiro de 2011 | 13h15

As ações dos bancos recuperam-se hoje, após as fortes quedas acumuladas nos últimos pregões, e contribuem para a alta observada hoje na Bovespa. Credenciadoras de cartão também sobem forte e colaboram no movimento.

Às 16h21, o Ibovespa registrava alta de 1,31%, aos 67.168 pontos, após ter alcançado a máxima de67.344. O giro financeiro era de R$ 5,4 bilhões, com previsão para alcançar os R$ 6,28 bilhões no encerramento do pregão. O movimento observado nas bolsas internacionais também colabora para sustentar a Bovespa no campo positivo. Há pouco, em Nova York, Dow Jones subia 0,36%, enquanto S&P 500 avançava 0,43%.

Os bancos sobem em bloco. Banco do Brasil ON (+3,06%); Bradesco PN (+2,42%) e units do Santander (+3,98%) figuram entre as maiores altas do Ibovespa.

Analistas do setor consideram que essas instituições financeiras foram muito pressionadas pelo cenário macroeconômico negativo, de aumento de inflação e dos juros, e as perspectivas de o governo tomar medidas para restringir ainda mais o crédito. "Esses papéis estão em patamar de múltiplos de mínimas históricas", disse o analista da Spinelli Daniel Malheiros.

A exceção fica por conta de BicBanco e Panamericano, que hoje anunciaram seus resultados.

BicBanco registrou queda de 18,7% no lucro líquido do quarto trimestre, para R$ 69,8 milhões. Mas analistas destacavam a queda da rentabilidade sobre o patrimônio líquido médio (ROAE) anualizada foi de 15,1% no quarto trimestre, ante 21,2% em igual intervalo de 2009.

Já o Banco Panamericano informou apenas seu resultado de dezembro, quando registrou um prejuízo consolidado de R$ 133,617 milhões. A empresa decidiu informar apenas o resultado do mês de dezembro por conta das irregularidades constatadas no balanço, que somam R$ 4,3 bilhões, e não permitem base de comparação.

OGX e Petrobrás

Entre as maiores altas do Ibovespa ainda figuravam os papéis da OGX (+4,10%), ainda recuperando-se das fortes quedas acumuladas em janeiro. Já os papéis da Petrobras tinham valorização mais tímida, de 0,93% na PN e de 0,49% na ON.

Segundo profissionais de mercado, a instabilidade política no Oriente Médio ainda deixa o setor de petróleo com o sinal de alerta. Há pouco, o petróleo negociado na Nymex eletrônica subia 0,42%, aos US$ 84,64.

Ontem, a Petrobrás informou ter encontrado nova reserva potencial de óleo no pré-sal, em área denominada como Macunaíma, dentro do chamado Polo de Tupi, na Bacia de Santos. Mas operadores afirmam que a notícia não estimula muitos negócios na Bolsa porque a companhia não informou as reservas estimadas do poço. "Ultimamente, investidores têm ficado mais atentos à evolução da produção e no desenvolvimento dos poços no pré-sal", disse um profissional.

Vale PNA subia 0,20% e a ON ganhava 0,12%, em dia de metais sem direção única.

(Texto atualizado às 16h21)

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaBovespaValePetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.