Bônus emergentes acompanham Wall Street e sobem

Prêmio de risco dos títulos cotados no Embig caiu dois pontos-base para 247 pontos-base sobre os Treasuries

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

22 de abril de 2010 | 08h28

Os títulos da dívida dos países emergentes subiram, na terça-feira, acompanhando os modestos

ganhos nas ações dos Estados Unidos e em meio à divulgação de detalhes de uma oferta global de bônus pela Rússia.

 

O sentimento do mercado também foi ajudado pelo sucesso da venda de títulos de curto prazo da Grécia, o que serviu de alívio aos investidores em meio a persistentes temores quanto à capacidade do país de financiar sua dívida.

 

Depois de 12 anos ausente do mercado internacional de capitais, a Rússia anunciou na terça-feira os detalhes de uma emissão de novos títulos de cinco anos a 125 pontos-base sobre os Treasuries e de um bônus de dez anos a 135 pontos-base sobre os títulos do Tesouro norte-americano. A transação será precificada hoje. Os bancos Barclays Capital, Citigroup, Credit Suisse e VTB Capital serão os líderes da emissão.

 

Os yields baixos que a Rússia espera pagar sugerem que haveria grande interesse pelos bônus e que "deve haver alguma demanda além da dos players usuais", observou Daniel Tenengauzer, diretor de mercados emergentes e estratégia global de câmbio do Bank of America Merrill Lynch.

 

Segundo Tenengauzer, os investidores provavelmente estão dispostos a aumentar sua exposição à Rússia, uma vez que seu regresso ao mercado internacional de bônus sinaliza que novas emissões estariam por vir, possivelmente dando ao país uma fatia maior em índices de referência (benchmark).

 

A Argentina, por sua vez, registrou na terça-feira os termos de uma oferta de títulos na Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM norte-americana), segundo a qual emitirá bônus Discount com vencimento em dezembro de 2033 e bônus Par com vencimento em dezembro de 2038, ambos denominados em dólares, euros e pesos. O país também emitirá um novo bônus global denominado em dólares com vencimento de 2017 e cupom de 8,75% para cobrir os juros acumulados dos títulos em default desde dezembro de 2003.

 

O prêmio de risco dos títulos cotados no Emerging Market Bond Index Global (Embig), elaborado pelo JPMorgan, caiu dois pontos-base para 247 pontos-base sobre os Treasuries, e avançou 0,14% no dia.

 

Os ganhos acentuados da Malásia e da Venezuela ajudaram na alta do índice, enquanto outros componentes apresentaram avanços marginais na sessão de hoje. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bônusemergentesembig

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.