Bônus emergentes ganham terreno em relação aos treasuries

O spread dos bônus do Brasil reduziu-se em 6 pontos-base, para 175 pontos-base acima dos Treasuries

Renato Martins, da Agência Estado ,

27 de abril de 2011 | 17h41

Os bônus da dívida dos países emergentes ganharam terreno em relação aos títulos do Tesouro dos EUA, mas seus preços recuaram, em dia de baixa do dólar no mercado de moedas. Ao fim de sua reunião de dois dias, o Federal Reserve norte-americano ( Fed, banco central ) anunciou que as taxas de juro permanecerão próximas de zero e reafirmou que seu programa de compras de Treasuries terminará em junho.

"O Fed não está sinalizando elevações das taxas de juro no curto prazo. Não há razão para os investidores desfazerem posições em ativos de risco", disse David Rolley, gerente de carteira da Loomis, Sayles & Co. O prêmio de risco do índice Emerging Markets Bond Index Global (Embig) reduziu-se em 4 pontos-base, para 298 pontos-base acima dos Treasuries; em termos de preço, o Embig recuou 0,10%.

O spread dos bônus do Brasil reduziu-se em 6 pontos-base, para 175 pontos-base acima dos Treasuries.

O dia também foi marcado pela emissão de US$ 2,5 bilhões em bônus globais de 10 anos da Indonésia, com taxa de retorno de 5,10%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuroBernanke

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.