Bônus emergentes permanecem praticamente estáveis

Global40, principal título da dívida brasileira, recuou 0,5625, para 133,6250 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

30 de março de 2010 | 08h20

Os spreads e os preços dos bônus dos mercados emergentes permaneceram praticamente

estáveis, numa sessão de poucas negociações, refletindo a expectativa do mercado com novas emissões de títulos que potencialmente podem oferecer yields mais atraentes após a Grécia vender € 5 bilhões em papéis com vencimento em sete anos e retorno de 6,001% - muito mais do que o juro de 2,67% pago pelos títulos alemães de vencimento comparável.

 

O prêmio de risco do Emerging Market Bond Index Global (Embig), do JPMorgan, encolheu dois pontos-base, para 259 pontos-base sobre os Treasuries, com retorno positivo de 0,02%. O Global40, principal título da dívida brasileira, recuou 0,5625, para 133,6250. O spread de risco do Brasil no Embig caiu três pontos-base, para 178 pontos-base sobre os Treasuries, com retorno positivo de 0,05%.

 

Os bônus da Ucrânia tiveram o melhor desempenho da sessão, com uma queda de 24 pontos-base no prêmio de risco, para 484 pontos-base sobre os Treasuries, e um retorno positivo de 0,85%.

 

O spread da Argentina encolheu quatro pontos-base no Embig, para 640 pontos-base sobre os Treasuries, com retorno negativo de 0,35%. O governo do país vai oferecer aos investidores uma oportunidade para trocar bônus Boden já existentes com vencimento em 2012 por novos títulos denominados em dólares e vencimento em nove anos, de acordo com o jornal La Nación.

 

O prêmio de risco da Hungria diminuiu seis pontos-base, para 158 pontos-base sobre os Treasuries, com retorno positivo de 0,15%. O banco central do país diminuiu 25 pontos-base, para 5,50%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bônusemergentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.