Bônus emergentes têm queda

Global 2040, principal título brasileiro, perdeu 0,3125 cents, para 113,0625 cents

Álvaro Campos, da Agência Estado,

20 de maio de 2010 | 08h17

Os títulos da dívida de mercados emergentes caíram nesta quarta-feira, acompanhando as

bolsas norte-americanas e um amplo movimento dos investidores para reduzir ativos de maior risco. A realocação em ativos considerados portos seguros se acentuou depois que, na terça-feira, a Alemanha decidiu limitar as vendas de ativos financeiros a descobertos (naked short-selling).

 

O prêmio de risco medido pelo Emerging Markets Bond Index Global (Embig), calculado pelo JPMorgan, subia seis pontos-base, para 329 pontos-base acima dos Treasuries norte-americanos nas transações do fim da tarde. O índice perdeu 0,71% ontem. O título benchmark do Brasil, o Global 2040, perdeu 0,3125 cents, para 113,0625 cents.

 

Os títulos da Argentina tiveram um dos piores desempenhos. Seu Embig subiu 20 pontos-base, para 773 pontos-base sobre os Treasuries. Na véspera, o índice caiu 4,58%. O mercado esperava detalhes sobre o swap de quase US$ 20 bilhões de bônus soberanos em default, depois do maior calote de dívida soberana do mundo, dado pela Argentina oito anos atrás. O acordo deve ter uma participação muito saudável e abrir as portas para a Argentina voltar ao mercado internacional de capitais.

 

Na sexta-feira, o governo vai anunciar a taxa de participação, ao mesmo tempo é esperado que o governo decida se a emissão será expandida em US$ 1 bilhão adicional para dinheiro novo. Entretanto, o preço indicativo dos bônus deixou os gerentes de recursos muito desinteressados.

 

A Venezuela também foi punida nesta quarta-feira, com os títulos da dívida subindo 50 pontos-base, para 1.152 pontos-base sobre os Treasuries, enquanto o índice caiu 3,31%, depois que o governo proibiu transações de câmbio no mercado paralelo. Economistas dizem que o resultado vai ser uma inflação mais alta e uma erosão do balanço externo da Venezuela.

 

A Venezuela é vista como um crédito muito mais fraco do que a Argentina agora, por causa das suas políticas econômicas internas. Cerca de três semanas atrás, as dívidas soberanas eram negociadas perto da paridade no Embig, de acordo com Siobhan Morden, diretor de estratégia para a América Latina do RBS.

 

Outros títulos que tiveram grandes perdas nesta quarta-feira foram os de Gana, com seu prêmio de risco subindo 45 pontos-base, para 492 pontos-base sobre os Treasuries e com o índice caindo 3,89%; e os títulos da Lituânia, cujo risco subiu 23 pontos-base, para 330 pontos-base sobre os Treasuries, com o índice declinando 1,95%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bônusemergentesembig

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.