Bônus emergentes terminam estáveis

Bônus brasileiro Global 40 teve alta de 0,0625 cents, chegando ao fim do dia a 132,5625 cents por dólar

Renato Martins, da Agência Estado,

31 de maio de 2010 | 08h22

Os preços dos títulos da dívida dos países emergentes chegaram ao fim do dia estáveis, anulando os ganhos da manhã, na última sexta-feira. O mercado fechou mais cedo, por causa do feriado de hoje nos EUA. No fechamento, o prêmio de risco medido pelo índice Embi Global, do JPMorgan Chase, estava em 335 pontos-base acima dos títulos equivalentes do Tesouro dos EUA, com baixa de 0,01% em relação a quinta-feira. O recuo em relação ao avanço da manhã foi atribuído à maior aversão a risco por parte dos investidores, depois de a Fitch Ratings rebaixar a classificação da Espanha.

 

Os preços dos bônus emergentes subiram na manhã de sexta-feira, dando continuidade ao movimento de quinta-feira, depois de a Malásia emitir US$ 1,25 bilhão em títulos de 5 anos e em reação aos indicadores divulgados pelo Brasil (a taxa de desemprego e o superávit primário do setor público em abril).

 

Entre os emergentes considerados de maior risco, a porção Argentina do Embi Global chegou ao fim do dia em 765 pontos-base acima dos Treasuries (-30 pontos-base), a Venezuela em 1.214 pontos-base (-27 pontos-base) e a Ucrânia em 571 pontos-base (-26 pontos-base).

 

Já o bônus brasileiro Global 40 teve alta de 0,0625 cents, chegando ao fim do dia a 132,5625 cents por dólar, segundo a Reuter. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bônusemergentesembig

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.