Bovespa abre dezembro em forte queda

Petrobrás, Vale e bancos operam em baixa acentuada; movimento está em linha com o exterior

Luciana Antonello Xavier, Agência Estado

01 Dezembro 2014 | 11h04

Atualizado às 15h

A Bovespa tem queda firme no primeiro pregão de dezembro, em sintonia com o humor das pares internacionais. O investidor processa a desaceleração dos índices de gerentes de compras industrial na China e na zona do euro e, no front doméstico, olha a primeira prévia da carteira teórica do Ibovespa, que saiu nesta manhã e que vale para o janeiro a abril de 2015. 

Os destaques são a inclusão das ações ordinárias da Multiplan, com peso de 0,417%, e a exclusão das ações preferenciais da Eletropaulo. 

Às 10h34, o Ibovespa tinha queda de 1,32%, aos 53.999,80 pontos. Mais tarde, às 15h, a queda beirava os 4%. 

As ações da Petrobrás caíam 2,58% (PN) e 3,70% (ON) por volta das 15h. O peso das ações da petroleira recuou tanto nos papéis PN como ON. 

Os papéis da Vale, cujo peso também diminuiu no índice, tinham perdas de 3,70% (PNA) e de 3,95%(ON), afetados pelo PMI da China. 

O PMI chinês medido pelo governo caiu a 50,3 em novembro, ante 50,8 em outubro, de estimativa de 50,6 e o mais baixo desde março. O PMI industrial do HSBC recuou para 50,0 em novembro, de 50,4 em outubro, o menor nível desde maio e o mesmo patamar da leitura preliminar. Na zona do euro, o PMI caiu para 50,1 em novembro, de 50,6 em outubro e previsão de 50,4. 

As ações preferenciais do Itaú Unibanco, que aparecem agora como as de maior peso no Ibovespa, com 11,091%, caíam 4,11%. As ações PN do Bradesco, que aparecem em segundo lugar na lista, com 8,599%, perdiam 4,27%.  

Mais conteúdo sobre:
bolsabovespamercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.