Bovespa abre em alta, amparada nos números da indústria chinesa

Leitura preliminar do índice dos gerentes de compras da indústria na China alcançou o nível mais elevado em sete meses

Olívia Bulla, da Agência Estado,

24 de outubro de 2013 | 10h14

A melhora da atividade na China em outubro embala os mercados do Ocidente na manhã desta quinta-feira, 24, o que contribui para uma abertura em alta da Bovespa, interrompendo a realização de lucros iniciada na quarta-feira, 23, e impulsionando as ações de Vale e das siderúrgicas. Contudo, as preocupações com uma postura mais cautelosa do Banco Central chinês (PBoC) limita os ganhos entre os ativos de risco, podendo enfraquecer a recuperação dos negócios locais. Por volta das 10h05, o Ibovespa subia 0,50%, aos 55.732,16 pontos.

Divulgada na virada do dia, a leitura preliminar do índice dos gerentes de compras (PMI) da indústria na China, medido pelo HSBC, alcançou o nível mais elevado em sete meses, a 50,9 em outubro, de 50,2 em setembro. Para o economista do HSBC, Qu Hongbin, a retomada do crescimento econômico chinês parece estar se consolidando no quarto trimestre deste ano, após atingir o fundo do poço no trimestre anterior.

Em reação, as principais commodities indústrias e as bolsas europeias operam em alta, assim como os índices futuros das Bolsas de Nova York. "Só Xangai caiu", observa o operador sênior da Renascença Corretora, Luiz Roberto Monteiro. Ele se refere à queda de 0,9% do índice Xangai Composto, na terceira sessão consecutiva de baixa.

Ao que tudo indica, os mercados chineses foram penalizados pelos receios de um aperto na política do PBoC, após a autoridade monetária não realizar operações no mercado aberto - feitas normalmente às terças e quintas-feiras - pela terceira vez seguida. O BC chinês irá retirar nesta semana 58 bilhões de yuans (US$ 9,5 bilhões) do sistema bancário, depois de drenar 44,5 bilhões de yuans na semana passada.

Já os índices de atividade divulgados na Europa não impulsionam as bolsas. Por volta das 9h45, a Bolsa de Frankfurt subia 0,60% e, em Wall Street, o futuro do S&P 500 avançava 0,39%, à espera de dados de emprego, atividade e moradias novas nos Estados Unidos. No Brasil, foi divulgado que a taxa de desemprego avançou a 5,4% em setembro, de 5,3% em agosto, ficando dentro do esperado.

No noticiário corporativo, destaque para os balanços do terceiro trimestre de Santander, anunciado nesta manhã, e da Natura, apresentado ontem à noite, além de Lojas Renner, Hering e Grendene, que revelam seus números trimestrais após o fechamento do mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.