Bovespa abre em alta e tem espaço para recuperação

O Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa de Valores de São Paulo, abriu em alta e avançava 0,66% às 11h19, a 36.550 pontos. Na abertura do pregão, os investidores já tinham em mãos os dados do mercado de trabalho de fevereiro nos Estados Unidos, que foram considerados moderadamente positivos. Foram abertas nos EUA 243 mil vagas no mês passado, ante estimativa de 212 mil postos. A taxa de desemprego subiu para 4,8% ante previsão de 4,7%. A evolução do mercado de trabalho norte-americano é vista como termômetro do crescimento da economia. Se a criação de postos fosse muito além da previsão, o número poderia desencadear a idéia de que os juros também teriam que subir mais que o esperado nos EUA, repercutindo na atração de capitais em outros países. Como o dado mais esperado do dia não provocou um rebuliço nos mercados internacionais, e o IPCA de fevereiro no Brasil veio dentro das estimativas, analistas acreditam que a bolsa paulista tem espaço para uma recuperação hoje. "A Bovespa já passou por uma correção forte e já não tem muita gente disposta a continuar vendendo ações a qualquer preço", disse o diretor de um corretora que atua com investidores estrangeiros. Na semana, de segunda-feira até ontem, o Ibovespa acumula perda de 7,46%. Na quinta-feira, segundo ele, as ordens de venda diminuíram muito. Um sinal de que o ajuste pode estar perdendo força é o volume financeiro do pregão de ontem, que encolheu para R$ 2,1 bilhões. No meio da semana, o giro financeiro chegou a superar R$ 3 bilhões. Os investidores vão continuar atentos à evolução do mercado externo e de olho no fluxo financeiro. Nesse meio tempo, algumas ações podem repercutir, pontualmente, os resultados de balanços. A Gol teve lucro de R$ 424,501 milhões em 2005, crescimento de 40,7% em relação a 2004. O lucro por ação foi de R$ 2,17 e por ADS, de US$ 0,69. Outra empresa que divulgou resultado esta manhã foi o Universo Online (UOL), que registrou crescimento de 875% em seu lucro líquido, para R$ 266,3 milhões. As ações Cemig também pode ter alguma reação ao balanço divulgado pela companhia ontem à noite. A Cemig teve lucro líquido de R$ 2,003 bilhões no ano passado, um aumento de 44,67% sobre 2004. O número veio em linha com as previsões dos analistas (R$ 1,97 bilhão).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.