Bovespa abre em alta influenciada por melhora em NY

Continua tudo igual. O índice Ibovespa da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está subindo na abertura do pregão porque os índices futuros de Wall Street também estão em alta. Se lá fora as bolsas cederem, aqui vai acompanhar, afirmam analistas. A Bovespa abriu em alta e subia 1,05% às 10h21, impulsionada pela valorização de 1,06% registrada pelo Nasdaq futuro e de 0,60% do S&P 500. O que está animando os investidores é muito mais o balanço favorável da Cisco, divulgado ontem à noite, do que a decisão do banco central americano de manter inalterada, em 5,25% ao ano, a taxa básica de juro. As ações da companhia subiam 10% mais cedo, após a empresa ter feito uma previsão de crescimento de receita acima do esperado para o ano fiscal de julho de 2006 a julho de 2007. Embora o Fed (o banco central dos Estados Unidos) tenha feito ontem uma pausa no juro, como era esperado pela ampla maioria do mercado, o comunicado da reunião deixou em aberto a possibilidade de aumento na taxa de juro na reunião do dia 20 de setembro. Com isso, entre os analistas, predomina a leitura de que o mercado vai continuar volátil, diante da incerteza em relação aos próximos passos do BC americano. O suspense em relação aos próximos indicadores econômicos sobre inflação e atividade a serem divulgados nos EUA vai permanecer. A dúvida é se a desaceleração da norte-americana será suficiente para segurar as pressões inflacionárias. O petróleo, se subir forte, pode reverter essa melhora sinalizada pelo mercado. Os preços da commodity registram esta manhã alta moderada, mas podem oscilar mais dependendo dos números sobre os estoques semanais nos EUA, que saem às 11h30. Há dúvidas sobre até que ponto a decisão de ontem do BC americano pode favorecer o retorno do fluxo de capital estrangeiro para a Bolsa paulista. As ações da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) devem reagir ao balanços divulgado hoje cedo. A siderúrgica teve lucro líquido de R$ 409 milhões no segundo trimestre, queda de 2,32% sobre igual período do ano passado. O resultado ficou 12,7% abaixo da média projetada por analistas consultados pela Agência Estado, de R$ 468,8 milhões.

Agencia Estado,

09 de agosto de 2006 | 10h26

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.