Bovespa abre em alta, mas dia pode ser de volatilidade

A oscilação, ora no campo positivo ora no negativo, continua dando as cartas no mercado e hoje, após ter fechado com ganho de 1,14% ontem, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) pode tentar realizar lucros. O principal índice da bolsa paulista, o Ibovespa, abriu em alta, logo em seguida inverteu o sinal, mas às 10h12 voltou a subir e avançava 0,12%, aos 36.596 pontos. Tudo depende do comportamento do mercado externo. Nos EUA, os índices futuros de ações operam em leve baixa (Nasdaq -0,29% e S&P 500 -0,14%), mas na Europa as bolsas estão subindo. Em Frankfurt, o ganho é de 1,06% e em Paris, 0,94%, reagindo ao fechamento positivo de ontem em Wall Street e impulsionadas também pela valorização das ações das mineradoras. No mercado futuro de metais em Nova York e Londres, segundo operadores, a aversão ao risco diminui entre investidores e há dinheiro novo no mercado. Em Nova York, após terem se desvalorizado durante a manhã ontem e invertido o sinal na parte da tarde, ao sabor das notícias corporativas, as bolsas norte-americanas seguem sem tendência definida. Depois de toda a expectativa da terça-feira, o balanço da Genentech, divulgado após o encerramento dos mercados, não está influenciando os negócios. A segunda maior empresa de biotecnologia do mundo anunciou crescimento de 79% do lucro no segundo trimestre, impulsionado pelas vendas do Avastin. Mas as vendas desse medicamento para tratamento de diversos tipos de câncer decepcionaram alguns analistas e as ações operavam em baixa hoje cedo. Agora, os investidores aguardam os balanços da Texas Instrument amanhã e da GE, na sexta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.