Bovespa abre em alta, mas foco continua nos EUA

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) Bovespa abriu em alta, após a divulgação dos dados de renda, gastos pessoais e de inflação nos Estados Unidos, mas não é suficiente para definir a tendência para o dia. Às 10h21, a Bovespa subia 0,38%, aos 45.529 pontos. Tanto a renda pessoal como os gastos com consumo em fevereiro nos EUA cresceram 0,6%, superando as estimativas dos economistas de aumento de 0,3%, o que sugere aquecimento da economia. O núcleo do índice de preços de gastos com consumo, que exclui alimentos e energia, subiu 0,3% na comparação com janeiro, acima da projeção de alta de 0,2%. Em Nova York, os índices futuros de ações ampliaram os ganhos depois da divulgação dos dados. Mas ainda é cedo para dizer se o mercado vai sustentar esse viés positivo. Tudo vai depender dos próximos indicadores que serão divulgados ao longo do dia, último dia útil do trimestre. O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, volta a falar hoje, o que merece atenção dos investidores. Além disso, continua o impasse geopolítico entre o Irã e o Reino Unido. Balanços Hoje o mercado deve permanecer de olho nas ações do setor aéreo. Os últimos balanços da temporada - termina hoje o prazo para as empresas divulgaram resultado de 2006 - devem repercutir pontualmente. Ontem à noite, a Eletrobrás anunciou lucro de R$ 1,16 bilhão em 2006, com aumento de 19% em relação ao ano anterior. No quarto trimestre o lucro somou R$ 335,8 milhões. O Pão de Açúcar encerrou 2006 com lucro líquido consolidado de R$ 85,524 milhões, mostrando queda de 66,7% sobre os R$ 256,990 milhões contabilizados no exercício anterior. A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) registrou lucro líquido consolidado de R$ 1,167 bilhão, mostrando queda de 41,8% sobre os R$ 2,005 bilhões registrados em 2005.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.