Bovespa abre em alta, mas inverte sinal

Às 11h29 (horário de Brasília), no entanto, o índice Bovespa (Ibovespa) passava para o campo negativo e perdia 0,41%, aos 67.307 pontos

Márcio Rodrigues, da Agência Estado ,

17 de fevereiro de 2011 | 11h19

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o dia em alta, dividida entre o leve sinal negativo vindo das bolsas internacionais e a movimentação que antecede o vencimento de opções sobre ações, na próxima segunda-feira. Às 11h29 (horário de Brasília), no entanto, o índice Bovespa (Ibovespa) passava para o campo negativo e perdia 0,41%, aos 67.307 pontos.

A opção é um contrato que confere ao portador o direito de compra ou venda de um ativo a um preço predeterminado. O vencimento de opções é a data de validade desses contratos. A partir do dia seguinte, o detentor da opção não pode mais exercê-la. Por isso, no dia de vencimento das opções e nos dias imediatamente anteriores, o movimento da Bolsa pode sofrer distorções, com os investidores atuando de forma tal que os preços das ações se aproximem daqueles valores que mais os favorecem quando a opção for exercida.

"Com a agenda doméstica vazia, os investidores se voltam hoje principalmente para a inflação ao consumidor dos Estados Unidos. Com o temor global sobre a inflação, um índice alto nos EUA pode ser um fator adicional de preocupação", analisa um operador. Ele destaca ainda as tensões que atingem o norte da África e o Oriente Médio, que têm pressionado os preços do petróleo.

Na agenda de indicadores dos Estados Unidos, além dos dados sobre a inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), a serem divulgados às 11h30 (horário de Brasília), os investidores aguardam a divulgação dos dados sobre os novos pedidos de seguro-desemprego, do índice de indicadores antecedentes e da atividade regional do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) da Filadélfia. Na Europa, o índice de confiança do consumidor da zona do euro será divulgado às 13 horas (horário de Brasília).

No Brasil, a aprovação do salário mínimo de R$ 545 na Câmara, ontem à noite, representa a maior vitória do governo de Dilma Rousseff até hoje. Isso pode sinalizar um maior compromisso com as contas públicas e uma pressão menor sobre a inflação.

No campo corporativo, o Banco do Brasil (BB) anunciou hoje um lucro líquido de R$ 11,7 bilhões em 2010, o que representa um aumento de 15,3% ante os R$ 10,1 bilhões de 2009. O banco informou ainda que o resultado recorrente do ano foi de R$ 10,7 bilhões, evolução de 25,4% ante 2009. Apenas no quarto trimestre, o lucro líquido somou R$ 4 bilhões, uma queda de 3,68% ante os R$ 4,1 bilhões de igual período de 2009.

Além disso, reportagem do jornal Financial Times de hoje informa que a BM&FBovespa deve fechar um acordo com a Bolsa de Xangai, com o objetivo de permitir que ações brasileiras sejam listadas na China. Em meio à notícia da criação de uma nova bolsa de valores no Brasil, a BM&FBovespa deve apresentar hoje, após o fechamento do mercado, seus resultados do último trimestre e do ano de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesBovespaexteriorEUAopções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.