Bovespa abre em alta, mas inverte sinal e recua

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em alta, mas logo em seguida passou a operar em baixa. Às 11h20, a Bovespa caía 0,20%, aos 45.262 pontos. No exterior, os principais sinais emanados são positivos para a bolsa paulista, mas não garantem um dia de alta firme. No cenário internacional, os índices futuros das bolsas em Wall Street operam no positivo, por um conjunto de fatores, sendo os principais o fato de o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Ben Bernanke, nada ter falado ontem sobre economia e política monetária que pudesse alarmar os mercados, e o balanço positivo da Cisco Systems. Das principais bolsas européias, só Londres opera em queda leve. O petróleo também está subindo no aguardo do relatório de estoques norte-americanos, esperado para as 13h30 (de Brasília). Os indicadores norte-americanos esperados para hoje à tarde, fora os estoques de petróleo, estão no aguardo dos investidores, mas há quem os considere um pouco antigos para pesar demais nos negócios: são os dados preliminares da produtividade e do custo da mão-de-obra no quarto trimestre de 2006. Também o presidente do Fed de Filadélfia, Charles Plosser, fala ao final sobre as perspectivas da economia norte-americana para 2007. Destaque desta manhã foi o balanço do grupo Gerdau, considerado bom. O lucro líquido consolidado ficou em R$ 3,5 bilhões em 2006, com aumento de 7,6% em relação a 2005. Conforme relatório do período, o Brasil contribuiu com R$ 2,278 bilhões para este resultado. Hoje é dia de estréia das ações da Iguatemi Empresa de Shopping Centers no Novo Mercado - um mercado mais transparente na Bovespa. A operação é uma das mais aguardadas do ano, por conta da força da marca e expectativa de que a oferta registraria grande demanda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.