Bovespa abre em alta, mas mantém atenção em NY

O último pregão do mês e véspera de feriado prolongado deve ser de ajustes na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A bolsa paulista abriu em alta - às 10h15 subia 0,23%, aos 39.842 pontos. Num dia de agenda doméstica esvaziada, o mercado de ações avalia a primeira estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) nos Estados Unidos referente ao primeiro trimestre, que mostrou crescimento de 4,8%, e do índice de preços dos gastos com consumo pessoal (PCE), que avançou 2%, após um alta de 2,9% no quarto trimestre. O núcleo (que exclui os preços de energia e alimentos) do PCE subiu 2%. A primeira avaliação é de que os dados indicam pressões inflacionárias mais contidas, o que pode abrir espaço para uma pausa no ciclo de aperto monetário. Além dos dados divulgados nos EUA, a Bovespa deve ser influenciada nesta sexta-feira pelo comportamento do mercado em Wall Street, que após dois pregões de alta, está enfraquecido hoje. O Nasdaq futuro registrava baixa de 0,45%, reagindo à queda acentuada das ações da Microsoft, após a maior fabricante mundial de softwares ter projetado ontem à noite lucro para o seu resultado no ano abaixo do esperado pelos analistas. O lucro líquido da Microsoft foi de US$ 2,98 bilhões (US$ 0,29 por ação), no primeiro trimestre deste ano. O S&P 500 cedia 0,13%. O juro do título do Tesouro norte-americano de 10 anos desacelerou após o dado do PIB e do PCE, mas segue no nível de 5%. Faltam ainda sair mais dois dados nos EUA: e confiança do consumidor de Michigan, às 10h45, e de atividade em abril da Associação dos Gerentes de Compras de Chicago, às 11 horas. O mercado acionário deve refletir os últimos ajustes à terceira prévia da carteira do Ibovespa, divulgado mais cedo, que vai vigorar no período maio/agosto, e passar a valer a partir de terça-feira. A carteira confirma os ingressos de CCR Rodovias ON, com participação de 0,815% e de Perdigão ON, com 0,754%. Há ainda os ajustes de carteiras típicos de virada de mês. A Bolsa deve encerrar abril com ganho ao redor de 4%. Até ontem, a valorização acumulada no mês era de 4,74% e de 18,82% no ano. Analistas vêm com naturalidade a queda de 1,63 da Bovespa na quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.