Bovespa abre em alta, puxada por economia dos EUA

Dose extra de ânimo foi injetada pela revisão do PIB dos EUA e auxílio-desemprego

Olívia Bulla, da Agência Estado,

29 de setembro de 2011 | 10h19

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em alta, após a divulgação de dados sobre emprego e crescimento da economia dos Estados Unidos melhores que o esperado. Às 10h16, o índice Bovespa (Ibovespa) subia 1,10%, aos 53.858 pontos. Apesar da alta, a volatilidade forte continua sendo a tônica dos negócios locais, principalmente, diante da agenda econômica carregada do dia, tanto no Brasil quanto no exterior.

A dose extra de ânimo nos mercados foi injetada pelos indicadores econômicos anunciados mais cedo nos EUA. Por lá, o Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre foi revisado para uma alta de 1,3%, acima da estimativa de 1,2% feita por economistas. Além disso, os pedidos de auxílio-desemprego feitos no país na semana passada caíram em 37 mil, bem acima da estimativa de queda de 3 mil solicitações.

"O desempenho da Bolsa vai depender da evolução dos mercados no exterior", avalia o economista da Senso Corretora, Antônio César Amarante. Para ele, enquanto permanecerem as incertezas quanto à uma solução sobre a crise das dívidas europeias, o mercado financeiro continuará alimentado pela fuga por segurança. "Mas os líderes europeus estão imbuídos na busca por uma solução", afirma.

Mais cedo, o Parlamento da Alemanha aprovou a ampliação do volume do fundo de resgate da zona do euro, a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF), por ampla maioria. Ontem, a matéria também passou no Parlamento da Finlândia.

Já no Brasil, Amarante destaca que os agentes financeiros estão ainda digerindo o Relatório Trimestral de Inflação do Banco Central, que era aguardado com ansiedade. Para o especialista, o documento da autoridade monetária reforça a preocupação do governo com o crescimento econômico, admitindo-se, portanto, uma inflação um pouco mais elevada. "O BC está alinhado com o Ministério da Fazenda e o Palácio do Planalto, que vêm chamando a atenção para o cenário global", avalia.

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaaberturacotaçãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.