Bovespa abre em alta puxada por Petrobrás e exterior

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve ter uma sessão de recuperação hoje, após acumular cinco pregões seguidos de perdas. A queda nos pedidos semanais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, acima do esperado, contribui para o movimento de alta. O noticiário envolvendo a capitalização da Petrobrás também deve agitar os negócios. Às 10h38 (horário de Brasília), o índice Bovespa (Ibovespa) subia 0,22%, para 64.944,94 pontos.

Olívia Bulla, da Agência Estado,

26 de agosto de 2010 | 10h19

Enquanto os mercados internacionais aguardam o discurso de amanhã do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, durante simpósio em Jackson Hole, os investidores respiram aliviados à queda de 31 mil pedidos de auxílio-desemprego feitos no país na semana passada. A previsão era de retração menor, de 10 mil, após as solicitações alcançarem a maior taxa desde novembro de 2009 (500 mil) no período anterior. O dado melhor que o esperado estimula a compra dos ativos de risco, após os preços das ações terem sido duramente castigados.

No Brasil, o mercado aguarda novas informações sobre o processo de capitalização da Petrobrás. Ontem, os papéis da companhia registraram forte volume de negociação no after market, fechando no limite de alta - após terem fechado em baixa na sessão regular. O movimento foi uma reação aos rumores de que o preço do barril de petróleo para a cessão onerosa da União à estatal ficaria em torno de US$ 8, no meio termo entre os valores de US$ 6 e US$ 12 apontados pelas consultorias contratadas pela Petrobrás e pela Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Para os analistas, o mercado se deu por satisfeito com a fixação do preço nesse patamar e também se mostra mais tranquilo com a sinalização de que a operação deve ocorrer em breve. Ontem, os ministros Márcio Zimmermann (Minas e Energia), Erenice Guerra (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda) e o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli, estiveram reunidos para debater essa etapa do processo de capitalização da companhia. No entanto, os encontros terminaram sem qualquer anúncio oficial. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a auxiliares que quer ver toda a etapa "técnica" concluída para então tomar uma "decisão política" sobre o aumento de capital da petrolífera.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesBovespaPetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.