Bovespa abre em alta puxada por resultado do Ibope

A Bovespa abriu em alta nesta quarta-feira, 27, impulsionada pelos resultados da pesquisa eleitoral divulgada na terça-feira, 26, pelo Ibope, quando os mercados já estavam fechados. Após uma sessão bastante volátil na véspera, a Bolsa brasileira acabou subindo apenas 0,14% na véspera, antes dos números confirmarem o importante avanço de Marina Silva (PSB).

ÁLVARO CAMPOS, Estadão Conteúdo

27 de agosto de 2014 | 10h33

Por volta das 10h20, o Ibovespa subia 0,78%, aos 60.285,37 pontos, renovando suas máximas intradia desde o começo do ano passado. No campo positivo, Tim (+5,86%), Oi (+7,46%) e Cosan (+3,04%) são os destaques. Já MMX (-3,30%), Even (-1,87%) e Natura (-0,81%) eram os destaques de queda. Em Nova York, com as bolsas perto das máximas históricas e uma agenda esvaziada hoje, os índice futuros operam perto da estabilidade (Dow Jones +0,07%, S&P 500 +0,04% e Nasdaq +0,01%).

Conforme o Ibope, Marina Silva (PSB) se descolou de Aécio Neves (PSDB) e aparece com 29% das intenções de voto, contra 19% do tucano. Nesse cenário, Dilma segue na liderança, com 34%. Já em uma simulação de segundo turno, a petista seria derrotada por Marina, com 45% ante 36%. Com o noticiário político no foco local, os investidores recebem uma nova pesquisa eleitoral, da CNT/MDA, às 10h30. Já o debate entre os candidatos à Presidência, ontem pela TV Band, foi realizado sob o impacto dos números do Ibope e, de um modo geral, Dilma evitou Marina, enquanto Aécio tentou desgastar a ex-ministra do Meio Ambiente.

No campo corporativo, a Oi contratou o banco BTG Pactual para fazer proposta de compra da participação da Telecom Itália na TIM. Mais cedo, as ações da empresa italiana subiam forte na Bolsa de Milão. O contrato firmado pela Oi dá direitos ao BTG de agir em nome da companhia para "desenvolver alternativas para viabilizar proposta para a aquisição da participação detida indiretamente pela Telecom Itália na TIM".

Tudo o que sabemos sobre:
BovespaIbope

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.