Bovespa abre em queda após Copom e balanços

Investidores acompanham números da economia dos EUA e balanços de empresas no Brasil e no exterior

Renata Pedini, Agencia Estado

26 de abril de 2012 | 10h35

A Bovespa abriu em queda repercutindo os resultados financeiros de empresas divulgados entre ontem à noite e esta manhã e ponderando a ata do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta quinta-feira. O BTG Pactual, que estreia hoje com suas units na Bolsa, deve movimentar os negócios. No exterior negativo, a agenda econômica dos Estados Unidos e os balanços corporativos seguem no radar dos investidores. Às 10h32, o Ibovespa cedia 0,75%, aos 61.289,17 pontos.

"Hoje as atenções se voltam para o balanço da Vale, além dos números da Cielo, Santander, Hering e Natura", citam analistas da Um Investimentos, em relatório. A mineradora apurou lucro líquido de US$ 3,827 bilhões no primeiro trimestre de 2012. O resultado representou queda de 43,9% em relação a igual período do ano anterior. Na comparação com o último trimestre de 2011, o recuo registrado foi de 18,1%. O lucro veio em linha com as expectativas do mercado.

Santander, por sua vez, registrou lucro líquido de R$ 1,723 bilhão no primeiro trimestre de 2012, o que representa uma queda de 16,8% ante os R$ 2,071 bilhões registrados em igual período de 2011, conforme formulário de referência disponível no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ainda entre os bancos, as units do BTG Pactual estreiam hoje na Bolsa, sob o código BBTG11. Os papéis foram precificados a R$ 31,25 cada, levantando até R$ 3,656 bilhões no IPO.

Também internamente, o Banco Central indicou na ata da última reunião do Copom que uma queda adicional da taxa básica de juros (Selic) deve ser conduzida com "parcimônia". No encontro da semana passada, o Comitê reduziu a Selic em 0,75 ponto porcentual, de 9,75% para 9%, acima dos mínimos históricos.

Para o gestor de renda variável da Máxima Asset, Felipe Casotti, o Banco Central sinaliza que o juro básico deve continuar caindo, mas que boa parte do ciclo de afrouxamento monetário já ocorreu. "Não sei se a ata do Copom faz preço na Bolsa hoje, pois já fez nos primeiros meses do ano", afirmou.

Ele acrescentou que a Bolsa vai seguir focada nos mercados internacionais e na agenda de indicadores dos EUA. Hoje o Departamento do Trabalho norte-americano informou que os pedidos semanais de auxílio-desemprego caíram menos que o previsto, em 1 mil, ante previsão de queda de 10 mil solicitações. Já o índice de atividade nacional em Chicago caiu a -0,29 em março, da leitura revisada de +0,7 em fevereiro.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasBovespaabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.